Regras alfandegárias para trazer vinhos do exterior!

  • Luiz Cola
  • 05/abr/2012
  • 148 Comentários

Atendendo os pedidos recorrentes de esclarecimentos sobre o tema, listo as informações necessárias para que você traga bons vinhos de suas viagens ao exterior sem infringir nenhuma regra alfandegária brasileira. No final do texto, você encontra um link sobre como transportar seus vinhos com segurança…
Quantidade de bens permitidos:
Para ter isenção dos tributos, os bens declarados devem respeitar os limites de 12 litros para bebidas alcóolicas. Detalhe importante: como as garrafas de vinho tem habitualmente 750 ml, é possível trazer até 16 garrafas com este volume, perfazendo o total permitido de 12 litros. Outro detalhe: independente do volume das garrafas, só é permitido 12 unidades do mesmo produto.
Valor de bens (vinhos) para isenção:
O passageiro que não ultrapassar os limites quantitativos dos bens, descritos anteriormente, tem direito à isenção de impostos para bens trazidos do exterior até a quota de US$ 500,00 (quinhentos dólares), sendo esse valor pessoal e intransferível, podendo ser usado uma vez a cada intervalo de um mês.
Caso o valor dos bens adquiridos ultrapasse essa quota será cobrado tributo de 50 % do valor excedente a US$ 500,00.
*Multa
Caso a Declaração de Bagagem Acompanhada seja apresentada de forma inexata ou incompleta será cobrada uma multa de 50 % do valor excedente ao limite de isenção.
Free Shops:
Além desta cota de compras no exterior, você ainda poderá adquirir produtos nas lojas dos Free Shops brasileiros. Os preços não estão lá estas maravilhas, mas ainda é possível comprar alguns bons vinhos por lá.

Bens adquiridos no Free Shop:
Bens adquiridos no Free Shop de chegada no Brasil não contam no limite dos bens adquiridos no exterior, podendo o passageiro realizar compras no Free Shop até o limite de US$ 500,00 por pessoa.
Fonte: Receita Federal
Veja o post sobre malas para transportar seus vinhos com segurança:

Publicidade

148 COMENTÁRIOS

  • Claudio Costa Lima - 9 de setembro de 2015 às 19:32

    Caro Cola,

    Tenho um casal de amigos italianos donos de uma trading na Itália que quer trazer para Brasil 30 garrafas de vinho acima da cota de 32 garrafas que o casal tem direito. Eles estão com datas reservadas para degustações na ABS SP e Rio. É possível “nacionalizar” esse excesso no momento da entrada deles no Brasil?

    Saudações,

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 9 de setembro de 2015 às 19:58

      Olá Cláudio,

      Talvez a forma mais segura seja despachar as garrafas extras como “bagagem desacompanhada” pela companhia aérea. Nesse caso, eles vão ter de retirar os vinhos na alfândega do aeroporto depois do desembarque e pagar o imposto de 50% sobre o valor total dos vinhos despachados. Se existe alguma outra forma mais simples e rápida, eu desconheço.

      Abs,

      Luiz Cola

      • Claudio Costa Lima - 10 de setembro de 2015 às 16:58

        Muito obrigado Luiz Cola. Belo trabalho o seu. Irei compartilhar. Parabéns.

  • Tania - 16 de setembro de 2015 às 12:51

    Ola Cláudio!

    Estou na Africa do Sul, na cidade do Cabo, e quero levar para o Brasil algumas garrafas dos maravilhosos vinhos produzidos aqui. Numa loja de vinhos que fui me disseram que só posso levar 2 garrafas na mala. Eh isso mesmo? Se for, qual outra forma para despachar?

    Obrigada,
    Tania

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 16 de setembro de 2015 às 20:03

      Olá Tânia,

      Você pode despachar na bagagem até 12 litros (ou 16 garrafas de 750 ml). A limitação fica por conta do valor, que não pode exceder os US$500. Se o total estiver acima disso, faça a declaração na alfândega e pague 50% de imposto sobre o valor excedido.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Carlos - 16 de outubro de 2015 às 19:06

    Olá Luiz, o Mercosul foi criado para a LIVRE circulação de mercadorias (em tese). Se eu quiser comprar vinho na Argentina (caminhão fechado) para vender aqui no Brasil é tranquilo? Obs: Independente da questão comercial, adoro os Malbecs Argentinos! Abraço, Carlos

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 16 de outubro de 2015 às 20:20

      Olá Carlos,
      Até onde eu sei, via Mercosul, o único imposto com alíquota Zero é o II (Imposto de Importação), existem outras taxas que terá de pagar. Para revender no Brasil terá de pagar ST e outras taxas locais. O negócio é espinhoso! O ideal é contatar uma Trade e avaliar os custos totais desse processo.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Carlos - 20 de outubro de 2015 às 07:39

        Luiz, obrigado pelas dicas. Abração, Carlos

  • Reinaldo - 21 de dezembro de 2015 às 09:46

    Caro Cola,

    Estou no Chile. Se ao voltar para o Brasil eu tiver algumas garrafas na mala, mas a compra total não supera os U$ 500, posso entrar na fila “nada a declarar” ? Ou preciso preencher o formulário informando que estou trazendo vinho ?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 21 de dezembro de 2015 às 12:21

      Olá Reinaldo,

      Estando abaixo do limite dos US$500 dólares em compras e de até 12 litros (16 gfs de 750 ml), você pode seguir pela fila “nada a declarar” sem problema algum.
      Faço apenas o alerta para não trazer nenhum produto “in natura” (frutas, queijos, embutidos e outros). Isso é passível de confisco pela fiscalização sanitária.

      Um abraço e bom retorno,

      Luiz Cola

      • Reinaldo - 21 de dezembro de 2015 às 17:15

        Muito obrigado pela atenção !

  • Mauricio - 11 de fevereiro de 2016 às 11:01

    Olá Luiz, vou para Mendoza e depois, de ônibus para Santiago (Chile). posso comprar vinho em Mendoza, leva-los para Santiago e depois trazer para o Brasil?
    abraços

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 11 de fevereiro de 2016 às 11:28

      Olá Maurício,
      Já fiz algo semelhante e não tive problemas entre o Chile e a Argentina. Para trazer ao Brasil, as regras continuam as mesmas!
      Tome cuidado apenas com o Chile: não entre com nada “in natura” por lá. Vai ser confiscado e podem inclusive multar você.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Francis valim - 3 de março de 2017 às 16:31

        Ola Luis! Neste caso, então, de Mendoza a Santiago, poderia trazer 16 garrafas para o aeroporto de Santiago e despacha-lãs ao Brasil? Ou seja, uso a rega brasileira da cota é do volume e não a chilena?

        • Luiz Cola

          Luiz Cola - 3 de março de 2017 às 17:26

          Sim, Francis! No Chile você será considerado um passageiro “em trânsito”.
          Abs,
          Luiz Cola

  • Miki - 14 de março de 2016 às 11:29

    Bom dia Luiz!
    Eu quero trazer vinhos da Itália e eu quero saber qual o preço é aceito no aeroporto de Brasil? Diferença de preços no Brasil e na Itália é grande.
    Obrigado!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 14 de março de 2016 às 12:19

      Olá Miki,
      As regras continuam as mesmas! Máximo de 12 litros (16 garrafas de 750ml) e valor total de até 500 dólares. Acima desse valor, paga-se 50% de imposto.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Rafaela - 23 de março de 2016 às 14:49

    Olá Luiz,
    Posso trazer uma quantidade maior que 12 litros de vinho da França, sendo os 12 litros despachados na mala e uma outra quantidade na mão?
    Esse imposto de 50% é cobrado sobre o valor total da mercadoria, ou sobre o excedente?
    A moeda sendo mais cara que o dólar, no caso do euro, é feito uma conversão de euro para dólar?
    Obrigada

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 23 de março de 2016 às 17:12

      Olá Rafaela,
      Os vinhos trazidos na “mão” só podem ser os adquiridos nos free-shops. Se comprar no aeroporto de onde está voltando para o Brasil, entra na cota de 12 litros (16 garrafas de 750ml) e de US$500 (todas as moedas são convertidas para ela). Se comprar no free-shop de chegada ao Brasil, você tem mais outra cota de US$500 e mais 12 litros de vinhos.
      Quanto ao imposto, se declarar o valor excedente aos US$500 quando chegar no brasil, paga 50% sobre o valor a mais. Se não declarar e for parada pela receita, paga multa de 100% sobre o total da compra.

      Abs,
      Luiz Cola

  • Dorilene - 29 de abril de 2016 às 18:24

    Ola Luiz,eu estou querendo revender vinhos tragos da Argentina para o brasil,como devo fazer?Uma forma segura e economica para traze-los..Obrigada

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 29 de abril de 2016 às 21:04

      Olá Dorilene,
      Trazendo até 16 unidades (12 litros) por passageiro e respeitando o limite de US$500, você não terá nenhum problema.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Fabricio - 25 de junho de 2016 às 23:24

    Luiz, estou no Brasil e queria comprar vinhos e sites italianos, nesse caso é possivel importar ( pessoa fisica), tem algumas dicas?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 26 de junho de 2016 às 11:24

      Olá Fabrício,
      Como pessoa física não é possível comprar vinhos no exterior. A única opção é fazer uma importação formal através de uma trading, mas isso vai demandar uma quantidade significativa de garrafas (acho que o mínimo é um pallet, equivalente a umas 600 garrafas).
      A única maneira de receber vinhos do exterior é quando o envio é feito de pessoa física para pessoa física. Mesmo assim, tem de ser classificado como presente (cadeau) ou amostra (sample) e está sujeito a ser tributado (por amostragem).
      Enfim, o negocio é bastante complicado, ainda que possível…
      Abs,
      Luiz Cola

  • ERIK CHURAMPI - 1 de julho de 2016 às 23:43

    Luiz , voce pode recomendar alguma empresa trading para a trazer vinhos do exterior para o Brasil

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 3 de julho de 2016 às 14:44

      Olá Erik,
      Tenho um amigo que faz isso aqui no ES. Ele é proprietário da Brazil Explorer. Segue o contato deles:
      Endereço: Av. Nossa Sra. da Penha, 595 – Bela Vista, Vitória – ES, 29055-131
      Telefone: (27) 3315-4785

      • adriana - 1 de agosto de 2017 às 17:24

        Caro sr Luiz Cola adorei suas dicas quero montar uma loja online com vinhos e outros ..porem quero so começar com um produtor da africa do sul,que conhecço os vinhos e sao exclusivos e ainda não tem no brasil, quero começar com pouco e preciso de ajuda por onde comecar, para pode comprar e enviar ao cliente.

        • Luiz Cola

          Luiz Cola - 2 de agosto de 2017 às 09:20

          Olá Adriana,
          O mercado de vinhos anda bem restrito nesse momento econômico conturbado aqui no Brasil. Sugiro que faça uma boa pesquisa de mercado antes de trazer esses vinhos da África do Sul para cá, especialmente sendo rótulos ainda não conhecidos por aqui.
          Creio que o ideal é divulgar algumas amostras entre formadores de opinião e potenciais compradores e dar uma noção das faixas de preço em que eles se posicionariam.
          Abs,
          Luiz Cola

  • Luís Esteves - 9 de julho de 2016 às 17:02

    Olá Luiz Cola
    Acompanhei suas informações com muito interesse.
    Sou português e resolvi enviar de presente duas garrafas de vinho para um amigo de São Paulo, por compra numa loja de vinhos online de Portugal.
    Trata-se de duas garrafas cujo valor total está nos 60 euros, ou seja mais ou menos 80 dólares americanos.
    Temo agora passar pela vergonha de fazer meu amigo pagar taxas alfandegárias para receber esse meu presente.
    Haverá alguma possibilidade de isso não acontecer? E se elas forem mesmo aplicadas, de que forma eu poderia assumir esse gasto, sem que meu amigo se apercebesse?
    Muito obrigado pela sua atenção!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 10 de julho de 2016 às 18:18

      Olá Luís,
      Tudo depende de como você enviou os vinhos…
      A regra geral não permite a compra de vinhos vindos do exterior. Porém, se enviou a encomenda como pessoa física e marcou como “cadeau” (presente) e “devolver ao remetente” para o caso da alfândega recusá-la, ela voltará para você.
      Como nem todas encomendas são paradas para averiguação (feitas por amostragem), o seu amigo vai receber a encomenda sem problema algum.
      Sugiro que digite o código de rastreamento de sua encomenda via Correios de Portugal no site brasileiro: http://www.correios.com.br/para-voce e veja onde ela se encontra.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Andrea - 18 de julho de 2016 às 16:49

    Oi, Cola, como funciona a bagagem não acompanhada?
    Vou a Irlanda em breve e gostaria de trazer tantas garrafas de Smithwick’s (cerveja local) quanto for possível. As garrafas são de 500 ml. Quantas eu poderia trazer como bagagem desacompanhada?
    Obrigada!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 19 de julho de 2016 às 10:58

      Olá Andrea,
      As regras são as mesmas. Pode trazer 12 litros, mas não mais de 12 unidades de cada bebida. E o mais importante: bagagem desacompanhada paga imposto de 50%, independente da cota de US$500.
      Abs,
      Luiz Cola

  • andrei - 23 de julho de 2016 às 17:37

    ola Cola! Estou querendo abrir uma importadora e começar a trabalhar com essa paixão! rsrs
    Tem experiência no assunto, poderia nos ajudar com uma consultoria?
    Muito obrigado. Forte abraco

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 25 de julho de 2016 às 09:23

      Olá Andrei,
      Bom dia! Encaminhe suas intenções e necessidades para realização desse projeto para meu email pessoal [email protected] e veremos a melhor maneira para que eu possa contribuir nessa sua nova empreitada.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Rogivan - 1 de agosto de 2016 às 12:40

    ola LUIZ COLA, bom dia, eu gostaria de comprar um produto eletrônico em um site em Portugal o valor desse produto e alto 600 dólar não ha duvida que seria tachado, mas eu pensei no seguinte, tenho amigo que mora no Paraguay e na Bolívia , sera que nesses países também ha esse tipo de impostos, pois se não houver assim daria pra mim efetuar a compra que seria enviada pra um desses endereços , oque achas?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 1 de agosto de 2016 às 13:27

      Olá Rogivan,
      Isso não é muito a minha área, mas acho que o ideal é trazer o produto que deseja, declarar na alfândega e pagar os 50% de imposto sobre o que exceder os US$500.
      Se custar US$600 o produto que quer, vai pagar 50% sobre US$100, ou seja, apenas US$50 a mais.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Rogivan - 4 de agosto de 2016 às 23:47

        Obrigado pela resposta amigo

  • Fernando - 2 de agosto de 2016 às 22:11

    Olá Luiz.
    Estou en Mendoza e queria esclarecer um ponto: me disseram no checkin no Brasil que eu poderia levar até 5L (6 garrafas) de vinho na bagagem de mão para o Brasil (por pessoa). Inclusive essa bagagem não conta como peso/franquia da bagagem de mão. Minha dúvida é se isso procede e se não terei problema no raio-x do aeroporto. Meu vôo é pela Latam e tem conexão em Santiago.
    Agradeço se puder nos ajudar.
    Obrigado.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 2 de agosto de 2016 às 22:38

      Fernando, sem problemas! Seu vinho vai passar como se fosse comprado no free-shop.
      Boa viagem!
      Luiz Cola

  • Suzana - 7 de agosto de 2016 às 23:17

    Boa noite Cola estou indo no final do mês para Santiago e gostaria de trazer alguns vinhos. Posso trazer a 2 caixas fechadas para despacho e mais 4 vinhos na mala, correto?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 8 de agosto de 2016 às 12:05

      Olá Suzana,

      Se forem 16 garrafas de 750 ml, correspondentes à 12 litros, tudo ok (respeitando a cota de US$500, é claro)!
      Abs,
      Luiz Cola

  • Rafael - 16 de agosto de 2016 às 23:41

    Boa noite, Luiz Cola

    Retorno de Santiago para o Brasil com conexão em Buenos Aires, você poderia informar se terei problema com cinco garrafas de vinho chileno no aeroporto de Buenos Aires ? Me falaram que no Chile é tranquilo, mas estou com receio em razão da mudança de voo na Argentina.

    Obrigado por seu tempo.

    Abs

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 17 de agosto de 2016 às 09:16

      Olá Rafael,

      Acredito que não terá problemas, mas sugiro que não diga que os vinhos são “chilenos”… rsrs.

      Abs,
      Luiz Cola

  • Joao - 22 de agosto de 2016 às 15:10

    Tenho uma filha de 3 anos. Posso trazer 32 garrafas de vinho sendo 16 meu e 16 dela?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 22 de agosto de 2016 às 17:10

      Olá João,
      Negativo! Menor de idade não pode usar a cota para trazer bebidas alcoólicas.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Izaura - 1 de setembro de 2016 às 12:05

    Oi Luiz Cola!

    Excelente Seu trabalho aqui! Parabéns! Tenho uma dúvida, talvés possa me ajudar. Se eu comprar 2 ou 3 garrafas de vinho direto da Italia através de um site, como faço para pagar os impostos? A lei brasileira permite esse tipo de importaçao?

    Obrigado

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 1 de setembro de 2016 às 15:00

      Olá Izaura,
      Infelizmente não é permitido comprar vinhos diretamente do exterior, mesmo recolhendo os impostos devidos.
      O que você consegue fazer é receber uma encomenda como presente (cadeau) através de pessoa física.
      Nesse caso, a receita poderá ou não cobrar o imposto devido sobre o que ultrapassar US$50.
      Ainda assim, existe o risco da encomenda ser devolvida à origem caso haja alguma incoerência nas informações dadas no formulário da encomenda.
      O ideal seria pedir que alguém as trouxesse para você.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Izaura - 2 de setembro de 2016 às 01:01

    Obrigado por me responder! U Acho um absurdo isso… Trazer na mala pode… Importadores podem…mas comprar diretamente não pode. Então se a pessoa quer degustar um Brunello Biondi Santi 2008 por exemplo, que na Italia custa de 75 a 95 euros + 42 euros de frete para o que seriam 3 garrafas. Em teoria, um pacote com 3 garras * 60% de impostos, custaria de 427 a 523 euros. Aqui no Brasil, muitos sites vendem esse vinho no valor entre 260 e 383 euros hoje, em torno a 950 a 1400 reais a garrafa. Em pratica com o valor pago por uma garrafa aqui eu compraria 3 diretamente da Italia mesmo pagando as taxas.

    Obrigado novamente pelo seu lindo trabalho aqui!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 2 de setembro de 2016 às 11:44

      Obrigado Izaura!
      Um abraço,
      Luiz Cola

  • Cecilia Pinton - 14 de setembro de 2016 às 22:05

    Ola Luiz,
    Vou fazer o percurso mendoza-santiago de onibus e gostaria de saber qual o limite de litros por pessoa. vale o mesmo que para voos, 12 garrafas: Obrigada
    Cecilia

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 17 de setembro de 2016 às 15:00

      Olá Cecilia,
      Essas regras e limitações valem para a entrada dos vinhos no Brasil.
      Já fiz essa travessia uma vez e a inspeção na alfândega era só dos passageiros.
      Creio que não terá nenhum problema. Na ocasião, eu estava com 9 garrafas.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Alberto - 11 de outubro de 2016 às 10:46

    Oi Luiz, bom dia
    Moro em São Paulo e quero comprar uma caixa de 6 vinhos na Espanha para que eles me mandar. Qual é o tramite que tenho que fazer e o costo? Obrigado

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 11 de outubro de 2016 às 11:37

      Olá Alberto,
      Infelizmente não é permitido comprar vinhos no exterior direto de uma loja. se for enviado assim, será confiscado!
      O que você pode conseguir é um envio de pessoa física para pessoa física como presente (cadeau), sujeito a passar na alfândega por amostragem ou ficar retida (eventualmente poderá seguir até você e terá um imposto de 60%).
      Consulte a loja onde quer comprar e veja se eles tem histórico em fazer esse tipo de operação.
      Minha experiência com isso diz que pode passar, mas não é 100% garantido.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Alberto - 12 de outubro de 2016 às 21:24

        Oi Luiz
        Eles não tem histórico e não é uma loja, se não a adega que faz o vinho (neste caso o vinho tem o meu sobrenome, já que a adega o fez em honor a minha família)

  • Manuel - 11 de outubro de 2016 às 18:44

    Caro amigo, queria comprar duas garrafas de vinho em portugual via correio, ou seja uma compra internacional.corro o risco da receita reter minha compra?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 12 de outubro de 2016 às 18:17

      Olá Manuel,
      O risco existe sim! Se o envio for direto da loja, a chance é de 100% de ter a encomenda retida e, provavelmente, devolvida a origem (ou descartada).
      Caso o envio seja feito por pessoa física, identificada como presente, a probabilidade de passar sem problemas é bem maior. Ainda assim, existe o risco da encomenda ser liberada (e tributada) pela receita federal.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Juliana - 26 de outubro de 2016 às 18:34

    Ola… Estou voltando ao da Itália para o Brasil no prox domingo pela Alitalia… E ouvi dizer que esta cia nao permite que despache nehuma garrafa de vinho… Essa informaçao procede??

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 26 de outubro de 2016 às 22:44

      Olá Juliana,
      Realmente já ouvi falar dessa restrição da Alitalia, mas não posso afirmar com certeza. Você tem dois caminhos a seguir: ligar para a Alitalia e perguntar, ou despachar sua bagagem se fazer menção às garrafas e correr o risco de alguma quebra. Sugiro comprar uma mala só para os vinhos (tipo Lanzenne) e proteger bem as garrafas…
      Abs,
      Luiz Cola

    • fernando - 13 de fevereiro de 2017 às 17:57

      Plá tudo bem? Estou indo pra Bélgica via Alitalia e pretendo trazer garrafas de cervejas de lá, gostaria de saber se você se saiu bem trazendo as suas garrafas de vinho, se teve algum problema, etc..

  • Maurizio Felice Conti - 5 de novembro de 2016 às 17:45

    Boa tarde Luis
    Em abril estarei de ferias na Italia,sendo que sou italiano tenho muitos amigos que produzem vinho mas as garafas que eles produzem nao tem etiqueta.Voltando no Brasil Eu posso levar comigo as famosas 12 garrafas sem rótulos ?
    Obrigado

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 6 de novembro de 2016 às 17:13

      Olá Maurízio,
      Não vejo nenhum problema, mas para evitar aborrecimentos, sugiro que traga alguma comprovação do conteúdo das garrafas.
      Ah, você pode trazer 12 litros, ou seja até 16 garrafas de 750 ml (limitadas ao valor de US$500).
      Abs,
      Luiz Cola

  • Maurizio Felice Conti - 5 de novembro de 2016 às 17:50

    Em abril, eu vou estar na Itália de férias e desde que eu sou italiano tenho muitos amigos que produzem vinho, mas garrafas sem rotulos .Posso voltar com as famosas 12 garrafas sem rótulos?

  • amauri - 23 de novembro de 2016 às 16:49

    Boa Tarde, vou realizar a importação de 18 Garrafas(03) Tipos de vinho para Pessoa física, com declaração de Importação (Siscomex), esta quantidade podemos fazer para consumo próprio via declaração sem fins comerciais, ou sera necessário todo o procedimento padrão via (Licença de Importação, deferimento MAPA e tudo mais ? se possível favor esclarecer …

  • Emiliano - 28 de novembro de 2016 às 02:35

    Precado Luiz,

    No hablo mucho Portugues, disculpas. Me interesa mandar desde Mendoza o Buenos Aires vinos a varios amigos persona ( yo ) a persona ( el destinatario ). Mis amigos moran en diferentes cidades de Brasil y las cantidades variables de acuerdo a lo que conpraron aqui. Me puede indicar que servicio de courier aereo recomienda ( DHL, UPS, otro ) y si mandando de esta manera tengo limitaciones en cantidades o valores o puedo tener problemas de que los retengan en aduana en Sao Paulo cuando los vinhos arriben ahi para pasar a otros aviones que los lleven a su ciudad de destino? Tambien recomienda si es posible mandarlos como presente?
    Muchas gracias! Abrazo.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 28 de novembro de 2016 às 17:21

      Olá Emiliano,
      Enviar algumas garrafas pra o Brasil como “regalo” é até possível passar pela aduana sem problemas, mas se a quantidade for maior, certamente será retida.
      Para quantidades pequenas , experimente usar o serviço dos Correios. Para DHL, UPS e outras, vai precisar de anexar nota fiscal e isso vai inviabilizar o envio.
      Abs,
      Luiz Cola

  • alberto escalda - 1 de dezembro de 2016 às 16:57

    Boa tarde,
    Parabéns pelas informações, precisas e de muita valia.
    Gostaria de saber se tendo algum contato em Portugal , consegui
    ria trazer vinhos de lá ?
    Qual o valor que pode ser remetido e ou quantidade?
    Se pode qual o valor incidente?
    Agradeço a atenção.
    Abraços.
    Alberto Escalda

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 2 de dezembro de 2016 às 08:29

      Olá Alberto,
      Como viajante ou pessoa física, os limites são aqueles que mencionei no post: 16 garrafas de 750 ml trazidas com você e mais 16 garrafas como “bagagem desacompanhada”, sujeita ao imposto de 50% sobre o valor do conteúdo.
      Fora disso, você terá se seguir o processo regular de importação.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Marcia Bicalho - 5 de dezembro de 2016 às 07:20

    Olá Cola , bom dia.
    Sigo para o Brasil com as 16 garrafas e compras abaixo de 500 dólares. Quando você fala ” só é permitido 12 unidades do mesmo produto” quer dizer de um mesmo rótulo não é? posso levar as 16 garrafas, mas não podem ser todas do mesmo rotulo.. por ex 16 Cartuxas. Azeite não entra nesta cota, estou certa? Desde que não passe da cota de 500 dólares posso levar?
    Abs
    Márcia

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 5 de dezembro de 2016 às 07:35

      Olá Márcia,
      Está correto! Seguindo esses passos, você não terá nenhum dissabor na alfândega.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Marcia Bicalho - 5 de dezembro de 2016 às 14:30

        Mais uma pergunta. Faço escala em Madrid (Lisboa-Madrid-Rio) . Se comprar algum vinho no aeroporto de madrid entra como cota de Free ou como item trazido do exterior? Ja estarei com 16 garrrafas na mala. Essas do free de madrid contam como? A minha preocupação não e a cota em dinheiro ( são vinhos baratos) e sim perder as garrafas srrsr. Abraços ,Marcia

        • Luiz Cola

          Luiz Cola - 6 de dezembro de 2016 às 09:31

          Olá Márcia,
          Os vinhos de Free shop fora do Brasil entram na cota das 16 garrafas de 750ml.
          Se comprar outras no Free shop dos aeroportos do Brasil, ficaram de fora dessa cota.
          Abs,
          Luiz Cola

  • RONI KELER - 11 de dezembro de 2016 às 10:50

    Bom dia Cola, tenho um amigo no Chile e gostaria de saber quantas garrafas este amigo pode enviar como presente aqui para o Brasil sem custo adicional de impostos e como ele pode enviar, por frete ou correios lá do chile? Posso fazer o rastreamento deste presente aqui no Brasil?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 11 de dezembro de 2016 às 17:11

      Olá Roni,
      O envio de vinhos como presente (cadeau) é possível de ser feito via correios sim, mas não há a possibilidade de ser tributado pela alfândega.
      Não dá para garantir que isso não possa acontecer. Sugiro que o envio não ultrapasse três garrafas.
      Quanto ao rastreamento, ele poderá ser feito através do site dos Correios daqui mesmo.
      Abs,
      Luiz Cola

  • CARLOS ALBERTO LEITE DA SILVA - 14 de dezembro de 2016 às 22:55

    Boa noite! Estou em fase de abertura de uma empresa para importar vinhos portugueses em pequena quantidade, gostaria de obter informações de todos os procedimentos que devo adotar e se financeiramente é mais viável contratar uma trade, para esses fins. Favor indicar todos os caminhos a seguir. Grato

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 15 de dezembro de 2016 às 07:42

      Olá Carlos Alberto,
      Bom dia!
      Não tenho muita experiência com os procedimentos de importação para o Brasil, mas do pouco que já tive acesso, é um grande emaranhado de exigências burocráticas.
      Meu conselho seria realmente buscar uma trade com experiência em importação de vinhos.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Roberto - 15 de dezembro de 2016 às 16:52

    Boa tarde amigo! Estou viajando da Argentina para o Brasil de carro. Estou levando vinhos comigo. A dúvida é se a quantidade permitida terrestre é a mesma do aéreo, 16 garrafas de 750 Ml. Obrigado desde já.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 15 de dezembro de 2016 às 18:24

      Olá Roberto,
      Nesse caso, por via terrestre, a única coisa que muda é o valor da cota por pessoa: US$150 por pessoa.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Jucilea - 28 de dezembro de 2016 às 07:57

    Preciso enviar vinho para o Brasil via correio.Vc sabe quantas garrafas posso enviar?Estou morando na França

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 28 de dezembro de 2016 às 14:55

      Olá Jucilea,
      Você pode enviar uma caixa com até 6 garrafas como presente (cadeuax), mas isso não garante que ela vai chegar ao destino sem tributação.
      Pode ser que ela passe por amostragem, seja redespachada com cobrança de imposto ou devolvida à origem.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Paula - 11 de janeiro de 2017 às 21:45

    Boa noite Luiz, estou com uma dúvida. Estou indo para mendoza e gostaria de saber se posso comprar vinhos lá para mandar entregar no Brasil, nesse caso eu pagaria o imposto de importação ou somente o frete? Obrigada!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 12 de janeiro de 2017 às 07:16

      Olá Paula,
      Se você vai despachar os vinhos como “bagagem desacompanhada”, vai pagar os impostos de importação como se tivesse ultrapassado o teto de US$500.
      Nesse caso, 50% de imposto sobre o valor dos vinhos.
      Se a intenção é mandar por via terrestre, os trâmites devem seguir os de uma importação tradicional. Caso sejam poucos vinhos, não valerá a pena.
      Abs,
      Luiz Cola

  • JEMILLE FELIX - 25 de janeiro de 2017 às 10:03

    Bom dia, trabalho em uma associação, e realizamos jantares para os associados(cobrado por pessoa que inclui bebida, vinhos, entre outros). Gostaria de saber se podemos importar vinhos da argentina e qual a tributação aplicada, precisamos da nota fiscal para futura prestação de contas.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 25 de janeiro de 2017 às 16:50

      Olá Jemille,
      A importação de vinhos por pessoa física é proibida no Brasil. O jeito é contratar uma trading para cuidar do processo para vocês.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Patrícia Vanzin - 13 de fevereiro de 2017 às 14:36

    Olá Luiz!
    Sou do RS e tenho famíliares que fabricam espumantes pro seco em Valdobbiadene e gostaríamos de trazer para o nosso consumo, voce poderia me informar como se faz e me indicar alguma espacializada para fazer este trâmite?

    Abraços
    Patrícia Vanzin

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 14 de fevereiro de 2017 às 08:20

      Olá Patrícia,
      Para receber uma ou duas garrafas, você pode pedir que algum deles envie como presente (cadeau) pelos Correios.
      Se for uma quantidade maior, você tem a opção do “Importa Fácil” dos Correios para valores acima de US$500 e até US$3000.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Ubiratan - 21 de fevereiro de 2017 às 16:27

    Como vai Luiz!

    Sobre “12 unidades do mesmo produto”, posso trazer, por exemplo 12 vinhos cartuxa iguais de 750 ml mais 04 outros vinhos diferentes de 750 ml totalizando os 12 litros? não tem problema uma caixa de 12 vinhos iguais na alfândega não? Grato.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 21 de fevereiro de 2017 às 20:54

      Olá Ubiratan,
      Se estiver dentro da cota de US$500 e do limite de 12 unidades de uma mesma bebida, sem problemas!
      Abs,
      Luiz Cola

  • Viviane Campos - 7 de março de 2017 às 13:29

    Boa tarde Luiz!

    Irei a Santiago em Junho e pretendo ir a Mendoza de Ônibus porém estou preocupada com o retorno de Mendoza a Santiago de Ônibus pois li que eles são muito rigorosos e pretendo levar vinhos de Mendoza a Santiago. Há risco de ter que pagar multa? Pois li de pessoas que pagaram multa por entrar com a maçã.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 7 de março de 2017 às 17:49

      Olá Viviane,
      As restrições no Chile direcionam-se apenas a produtos “in natura”. Uma garrafa de vinho, produto industrializado, não entra nesse caso. Fique tranquila quanto a isso!
      Abs,
      Luiz Cola

  • Tiago Salum - 13 de março de 2017 às 08:14

    Ola Luiz,

    Estou na Australia indo embora para o Brasil nesta quarta feira 15/03/2017. A mesma regra se aplica para ca? Posso despachar ate 12 garrafas de vinho? Ja estao compradas e devidamente empacotadas. Obrigado e um abraco.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 13 de março de 2017 às 08:35

      Olá Tiago,
      Bm dia!
      Na realidade você pode trazer até 16 garrafas de 750ml (=12 litros). A outra limitação diz respeito ao valor (máximo de US$500).
      Seguindo essas regras, você não terá nenhum problema junto a alfândega.
      Boa viagem!
      Luiz Cola

  • Melanie - 13 de março de 2017 às 14:24

    Olá Luiz,
    Me falaram que voltando do Chile, nós brasileiros temos uma regalia de poder trazer os vinhos na bagagem de mão. Consegue confirmar esta informação?
    Grata

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 13 de março de 2017 às 14:58

      Olá Melanie,
      Realmente eles costumam permitir que se traga na bagagem de mão um volume de até 5 litros de vinho (6 gfs).
      De qualquer modo, sugiro que você consulte sua companhia aérea antes ao desembarcar no Chile. Essas regrinhas costumam ser muito “voláteis”…
      Abs,
      Luiz Cola

  • Maurício Peres - 29 de março de 2017 às 21:11

    Olá. Estava retornando de carro com 65 garrafas de vinho comprado na Argentina quando fui parado pela Polícia Rodoviária Federal. O policial reteu todas as garrafas e fez um BO informando que encaminhará todas as garrafas a Receita Federal. Como faço para recupera-las? Att.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 29 de março de 2017 às 23:45

      Olá Maurício,
      Você terá de procurar a Receita Federal e consultar como seu vinho foi autuado (a notificação entregue deve informar isso). Pode ter sido uma retenção para que você recolha o imposto devido (a isenção terrestre é de apenas US$150 por pessoa) ou um confisco de mercadoria. Nesse último caso, seus vinhos apreendidos poderão ser levados à leilão.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Maurício Peres - 30 de março de 2017 às 16:20

        Muito Obrigado pelos esclarecimentos. A autuação da Polícia Rodoviária Federal consta como DESCAMINHO (Decreto-Lei 2.2848 CP) Art. 334 – importar ou exportar mercadoria proibida ou iludir, no todo ou em parte, o pagamento de direito ou imposto devido pela entrada, pela saída ou pelo consumo de mercadoria. Abraço

  • Cesar - 29 de março de 2017 às 21:52

    Caro Cola
    Li praticamente todas as perguntas e respostas, mas não encontrei a minha dúvida…..O que significa “o mesmo produto”? Significa exatamente “o mesmo vinho”? Por exemplo, apenas 12 garrafas de um DV Catena Zapata Malbec? Nesse caso, eu poderia trazer 12 do DV Catena Malbec e mais 4 de Angélica Zapata? Desde já, obrigado.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 29 de março de 2017 às 23:42

      Olá César,
      Se os rótulos são diferentes, não importa se são da mesma vinícola, afinal, são produtos diferentes!
      A situação exemplificada por você é perfeitamente legal! Lembre-se porém do limite de US$500 para um total máximo de 16 garrafas (12 litros).
      Abs,
      Luiz Cola

      • Cesar - 30 de março de 2017 às 00:14

        Sem dúvida. Mas na Argentina, a compra acima sairia por uns US$ 460….hehehe. É incrível como pagamos caro aqui. Estive recentemente em Portugal e paguei €34 por um Quinta da Leda que aqui custa cerca de R$ 790.
        Mais uma vez, obrigado pela resposta.

      • Cesar - 30 de março de 2017 às 00:15

        Sem dúvida. Mas na Argentina, a compra acima sairia por uns US$ 460….hehehe. É incrível como pagamos caro aqui. Estive recentemente em Portugal e paguei €34 por um Quinta da Leda que aqui custa cerca de R$ 790.
        Mais uma vez, obrigado pela resposta. Abs.

  • JOSÉ ANTONIO - 14 de abril de 2017 às 13:46

    Prezado Cola, tenho um amigo que trouxe uma garrafa de uisque pela importa facil do correio, entretanto a remessa ficou retida. Você sabe qual a melhor opção para liberar essa garrafa ? Mesmo sendo uma amostra, esse uisque é tributavel ?
    Grato.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 15 de abril de 2017 às 13:21

      olá José Antônio,
      Esse serviço “Importa Fácil” é uma burocracia só…
      Eles querem um monte de documentação e a contratação de um despachante.
      Em tese, se o uísque é uma “amostra”, não deveria ser retido, ainda que pudesse ser tributado.
      O jeito é ligar para o serviço dos Correios e seguir os trâmites fornecidos por eles (ou mandar a garrafa de volta para a origem).
      Abs,
      Luiz Cola

  • Juliana - 9 de maio de 2017 às 19:00

    se exceder o limite de 12 garrafas… O que acontece? E confiscado tudo?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 9 de maio de 2017 às 23:07

      Olá Juliana,
      O limite é de 12 litros (ou seja, 16 garrafas de 750 ml no caso de vinhos) por pessoa.
      Se exceder esse limite, pode haver apreensão parcial do que exceder ou mesmo do total, caso o fiscal entenda que é uma atividade premeditadamente ilegal.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Luana - 9 de maio de 2017 às 20:07

    Olá! Estamos no Chile e iremos embarcar para o Brasil com a Gol. Pretendemos levar no máximo 5L de vinho na bagagem de mão. Teremos problemas?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 9 de maio de 2017 às 23:08

      Luana,
      Em tese você não teria problema algum, mas com essas alterações de peso de bagagem no Brasil, sugiro consultar a companhia aérea.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Lucas - 11 de maio de 2017 às 09:03

    Luis, tudo bem ?
    Por favor, te pergunto qual idade minima valida na regra de 12 litros de vinho por pessoa ?
    Minha filha tem 14 anos, ela também pode trazer esta quantidade de garrafas ?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 11 de maio de 2017 às 09:43

      Olá Lucas,
      Lamento, mas por razões óbvias, os menores de idade não podem usar a cota de US$ para trazer bebidas alcoólicas.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Lucas - 11 de maio de 2017 às 14:42

        Ok Luis, uma pena.
        Se eu e minha esposa trouxermos 40 garrafas e o valor não exceder US$ 500, como será cobrado o imposto das 8 garrafas excedentes ?

        • Luiz Cola

          Luiz Cola - 11 de maio de 2017 às 14:50

          Olá Lucas,

          Em tese, vocês só podem trazer 12 litros (16 garrafas) cada, ou seja, 32 garrafas. As 8 garrafas adicionais não poderiam passar, mesmo pagando o imposto de 50%, por conta da cota de número de itens (que independe dos US$500). Mas isso vai depender do julgamento do fiscal na alfândega…
          Abs,
          Luiz Cola

  • Niw Sakamoto - 15 de maio de 2017 às 11:19

    Olá Luiz…tudo bem?! Moro no Japão ,e estou de viagem marcada ao Brasil,porém minhas malas já estão no limite do peso,é um amigo me pediu para comprar para ele uma caixa de whisky no duty free de São Paulo…minha dúvida é:Tenho voo doméstico para Belo Horizonte,queria saber se o peso da caixa de bebida ,é contado junto com o peso de minha bagagem ou fica isento o peso,sendo comprado do dutty free do Brasil?!Aguardo sua resposta!!!Desde já ,muito agradecida.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 15 de maio de 2017 às 12:22

      Olá Niw,
      Infelizmente essa bagagem extra vai ser taxada no trecho SP-MG, mas não deverá ser nada absurdo. Você pode inclusive comprar a franquia de peso no site da cia. aérea (sai mais barato que pagar na hora).
      Abs,
      Luiz Cola

  • Luiz Valente - 17 de maio de 2017 às 16:25

    Prezado, boa tarde.
    Um amigo que mora na Itália, me enviou no mês de março deste ano 06 Garrafas de Prosecco de marcas diferentes e despachou via Correios Italianos, apôs inúmeras reclamações, pois ninguém localizava as garrafas aqui no Brasil, meu amigo conseguiu localizar e está na guarda da UPS aqui no Brasil (Campinas/SP), que por sua vez diz que é uma Importação Formal, ou seja, eles informam que por serem garrafas de Bebidas Alcoólicas, eu devo ter o RADAR e Contratar um Despachante Aduaneiro, custo estimado de mais de R$ 1.500,00.
    Você sabe me dizer se está certo esta informação, não Importei absolutamente nada, foi um presente de Pessoa Física para Pessoa Física.
    Obrigado

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 17 de maio de 2017 às 16:56

      Olá Luiz,
      Nem esquente sua cabeça com isso! Infelizmente, o melhor a fazer é solicitar a devolução para o remetente.
      Isso já aconteceu com alguns conhecidos meus e o jeito foi desistir da encomenda/presente.
      A alfândega em SP tem enviado todas essas encomendas para os Correios, que por sua vez tentam fazer com que utilizemos o sistema” Importa Fácil”.
      Como seria de se esperar, é altamente burocrático, lento e custoso. Repito: devolva à origem. Caso contrário, vai gastar dinheiro e se aborrecer um bocado…
      Abs,
      Luiz Cola

  • Décio Ferreira Machado - 18 de maio de 2017 às 15:35

    Prezado Luiz!

    Estou em viagem na França e gostaria de levar para o Brasil, algum queijo, é possível?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 18 de maio de 2017 às 17:58

      Olá Décio,
      Depois de muito tempo, a alfândega liberou o acesso de produtos de origem animal. Em todo caso, sugiro evitar trazer os queijos produzidos com leite cru.
      Sempre há a possibilidade de encrencarem com eles. No mias, pode trazer sem problemas.
      Abs,
      Luiz Cola

  • francielle - 28 de maio de 2017 às 14:23

    Boa tarde,
    Encontrei varias informações sobre vinho que gostei muito. Mas minha duvida é sobre cervejas, tenho uma loja de cervejas especiais e gostaria de saber como comprar cervejas no Uruguai e vende-las legalmente na minha loja.Pode me ajudar?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 28 de maio de 2017 às 22:51

      Olá Francielle,
      Lamento não poder te ajudar, mas não conheço nada de cervejas uruguaias. O melhor a fazer é pesquisar as cervejarias de lá e ver se alguma importadora as traz para o Brasil.
      Se for importar direto, sugiro consultar uma trading que possa cuidar do processo para você.
      Abs,
      Luiz Cola

  • francielle - 29 de maio de 2017 às 22:30

    Obrigada pela atenção!

  • REGINALDO VIEIRA LIMA - 30 de maio de 2017 às 15:16

    Trabalhamos com bagagem desacompanhada, pets, mudança, vinhos e outros, se precisar de informação estamos a disposição.

  • RAFAEL LIMA JOIA - 2 de junho de 2017 às 14:04

    Olá Luiz,

    Um colega Italiano quer me enviar 3 garrafas de vinho de lá da Itália para o Brasil, mas informaram a ele que esse tipo de mercadoria não é mais permitido. Qual seria a melhor forma? Obrigado!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 3 de junho de 2017 às 18:27

      Olá Rafael,
      O envio de vinhos vindos do exterior é uma coisa bem complicada e confusa. Em tese, você pode receber como presente de pessoa física, mas nada impede que a receita confisque a encomenda ou taxe com imposto de 60%.
      Seu amigo pode tentar enviar como “cadeau” (presente) via correios, mas não é garantido que chegue sem percalços. Lamento…
      Abs,
      Luiz Cola

  • Jane - 8 de junho de 2017 às 14:01

    Luiz,tenho um amigo que tem um restaurante em lussemburgo e mandou buscar 60 vinhos na França,mais não foi permitido e ele foi lá, você acha que dar pra ele levar?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 9 de junho de 2017 às 10:36

      Olá Jane,
      Não conheço as regras válidas para a União Europeia. O melhor que seu amigo tem para fazer é consultar um despachante aduaneiro em Luxemburgo para sanar essas questões.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Flavia - 11 de junho de 2017 às 18:50

    Boa noite Luiz, vou a mendoza em julho e gostaria de trazer a cota de 16 garrafas de vinho de lá , e também trarei do free shop as 12 garrafas de whisky . Posso ? E sobre espumante posso comprar e enviar pra o Brasil um quantitativo considerável ( 100 garrafas) , será que vale a pena . São para festa de quinze anos da minha filha . Obrigada e fico no aguardo da sua resposta.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 11 de junho de 2017 às 19:28

      Olá Flávia,
      Pode trazer suas 16 garrafas (de 750 ml) de vinho e comprar seus 12 whiskies no Free Shop (aqui no Brasil) sem problemas.
      Quanto às 100 garrafas de espumante, não valerá a pena arcar com os custos de importação e menos ainda pelo quesito preço x qualidade.
      Compre seus espumantes aqui no Brasil, pois a grande maioria é superior aos produzidos na Argentina ou Chile.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Flavia - 11 de junho de 2017 às 22:09

        Obrigada pela resposta e dica , você pode sugerir quais espumantes , levando em conta custo beneficio ?

        • Luiz Cola

          Luiz Cola - 12 de junho de 2017 às 00:47

          Olá Flávia,
          Procure pelos espumantes da Cave Geisse, Casa Valduga, Don Giovanni ou Adolfo Lona nas versões Brut e/ou Nature. Todos de excelente qualidade!
          Abs,
          Luiz Cola

  • Heider Castro - 12 de junho de 2017 às 22:39

    OI Luiz! Boa noite!
    Gostaria de uma orientação sua, recebi uma proposta para importar vinhos de Portugal. Qual a trade que você me indica? Li em suas respostas a Brasil Explorer. Ou também sua consultoria, não tenho experiência em importação somente na area de venda.

    Grato,

    Heider Castro

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 13 de junho de 2017 às 00:16

      Olá Helder,
      A única trade que conheço e poderia recomendar é a Brazil Explorer daqui de Vitória. Mas tem muita gente boa por aí. Teu fornecedor de Portugal também deve ter alguém com quem trabalha para enviar ao Brasil.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Lucia Pretti - 19 de junho de 2017 às 00:57

    Oi Luiz
    Estou me organizando para ir a Portugual. já sei que posso trazer 16 garrafas, sem ultrapassar os U$500, mas não ficou claro, o fato do limite do mesmo produto. O vinho sendo de vinhas diferentes posso trazer as 16 garrafas ???
    Vc teria alguma indicação de vinhas para visitar no DOURO e ALANTEJO que os vinhos não ultrapassasse de 40 euros no máximo !!
    Vi que vc faz alguns eventos, por favor me mande o calendário caso faça a em Vitória ( tenho família) ou Salvador ( onde moro )
    Desde já agradeço sua atenção, muito obrigada !!!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 19 de junho de 2017 às 14:48

      Lúcia,
      Pode trazer 16 garrafas de 750ml (=12 litros), mas o número de unidades iguais continua limitado a 12, ok!
      Quanto as demais dicas, passo depois do dia 30. Estou viajando pela França e com pouco tempo para responder mensagens.
      Pode deixar que publico aqui…
      Abs,
      Luiz Cola

  • João Silva - 5 de julho de 2017 às 15:27

    Caro Luís,
    Existe alguma proibição para trazer em minha bagagem, algumas garrafas do vinho azul com finalidade de consumo próprio?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 5 de julho de 2017 às 18:09

      Olá João,
      Creio que não…
      Até onde eu sei, apenas a comercialização está proibida!
      Sugiro trazer umas 3, no máximo, para evitar interpretações equivocadas.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Manuel - 6 de julho de 2017 às 14:14

    Boa tarde Luiz Cola
    estou a retornar ao Brasil proximo sabado , comprei aqui no supermercado 12 garrafas de vinho para levar , acontece que perdi o talão (nota fiscal) , é possivel uma 2 via mas vai demorar 2 dias e não vai dar tempo , os vinhos tem um valor de 3/4 euros cada , totalizando +/- 60 euros (50 dolares),acha que posso ter problemas na alfandega por não ter o talão , desde de já agradeço sua atenção ,estou aqui a esquentar a cabeça,daqui a pouco bebo o vinho todo,att

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 6 de julho de 2017 às 15:47

      Olá Manuel,
      Não há com o que se preocupar! Se estiver dentro do limite de 12 litros (16 garrafas de 750ml) e de um valor igual ou menor que 500 dólares, está tudo certo!
      O fato de não ter as notas não é problema. Para casos assim, a alfândega consulta preços referenciais na internet.
      Boa viagem!
      Luiz Cola

  • Fernando - 18 de julho de 2017 às 20:50

    Olá Luiz, tudo bom?
    Estou com viagem agendada pra França, onde pretendo comprar várias garrafas de vinho! O problema é que volto de navio e fui orientado que não posso entrar com bebida alcoólica no navio! Você teria alguma sugestão? Tento enviar lotes de presentes (cadeau) de lá pra cá? Existe algum meio ou somente como bagagem desacompanhada via avião mesmo?!
    Desde já agradeço sua atenção!!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 19 de julho de 2017 às 09:25

      Olá Fernando,
      Nunca fiz um trajeto de navio como o seu, mas acredito que a proibição é de consumir bebidas alcoólicas é limitada ao navio.
      Acredito que você poderia trazer seus vinhos como bagagem despachada no porão do navio, mas isso é só uma suposição.
      Sugiro que você consulte a operadora do navio para ter uma resposta mais precisa sobre isso.
      De qualquer modo, como você mesmo disse, pode tentar enviar uma caixa como bagagem desacompanhada e retirar aqui no Brasil, pagando o imposto relativo aos valor dos vinhos.
      Lamento não poder ajudar mais.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Bianca Prior - 31 de julho de 2017 às 00:16

    Olá gostaria de saber se existe efetivamente alguma regra que afirme que podemos levar garrafas de vinho na mão, dentro do avião, do Chile para o Brasil? Quando estive em Mendoza por exemplo, fui obrigada a despachar e um casal de amigos que estavam comigo conseguiram levar na mão, no mesmo voo..

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 31 de julho de 2017 às 08:38

      Olá Bianca,
      As regras deveriam ser uniformes, mas acabamos sujeitos à boa vontade das cias aéreas. Habitualmente, no Chile, Uruguai e Argentina, é permitido trazer até 5 litros de vinhos (6 gfs) na cabine, mas a única maneira segura é consultar a empresa antes de retornar para o Brasil.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Célio Mello - 22 de agosto de 2017 às 13:00

    Vou a Nova Zelândia. O voo exige mudança de aeroporto. Chego em Ezeiza e faço conexão no aeroporto Aeropark, ou seja precisarei passar pela alfandega argentina.
    É permitido entrar com vinho da Nova Zelândia na Argentina nesse caso?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 22 de agosto de 2017 às 13:33

      Olá Célio,
      Creio que como seu destino final é o Brasil, você não vai ter nenhum problema nesse sentido.
      Resta saber se é a companhia aérea que vai cuidar do translado de suas bagagens ou será você mesmo.
      Pode ter certeza que a alfândega argentina não é tão “chata” quanto a nossa…
      Abs,
      Luiz Cola

  • Adriana - 11 de setembro de 2017 às 19:13

    Caro Luiz Cola,
    Ficou bem claro nas suas publicações como proceder para trazer os vinhos de viagem para o Brasil, porém tenho uma dúvida. Podemos trazer vinhos sem rótulos, tenho uma quinta da família e ganho vinhos sem rótulo (produção artesanal)? Neste caso, qual o valor considerado pela Receita, como não se existe comprovantes. Agradeço antecipadamente, Adriana

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 12 de setembro de 2017 às 09:26

      Olá Adriana,
      Bom dia!
      Seu caso é um pouco mais peculiar mas não chega a ser sem solução.
      Não há problema algum em trazer vinhos sem rótulos, mas lembre-se de que apenas 12 unidades de um mesma bebida são permitidos.
      Caso o fiscal questione o valor de face dos vinhos, diga-lhe exatamente o disse aqui. O máximo que ele poderá fazer é atribuir um valor genérico para as garrafas.
      Como a cota por pessoa é de 500 dólares, mesmo que ele um valor exorbitante para um vinho simples (15/20 euros), você não terá problema algum.
      De qualquer modo, fotografe as garrafas na sua quinta e, se necessário, demonstre na alfândega de onde elas são oriundas.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Elano Benevides - 18 de setembro de 2017 às 15:48

    Boa tarde LUIZ!!!
    Onde comprar mala para despachar 16 garrafas de vinhos em Lisboa?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 18 de setembro de 2017 às 16:07

      Olá Elano,
      Não sei qual o seu nível de urgência, mas o ideal seria procurar pela Lanzenne (caixa p/12 ou 15) ou a VinGarde Valise (12 gfs).
      Acesse o site delas e veja qula pode entregar mais rápido para você.
      Na Garrafeira nacional eles montam as caixas para os clientes que fazem compras por lá. É uma opção.
      Se tudo der errado, o jeito é comprar uma mala de policarbonato (daquelas duras) e acondicionar as garrafas lá dentro com plástico bolha (ou dentro de fraldas descartáveis para adultos).
      De um jeito ou de outro, você vai conseguir trazer suas garrafas… Boa viagem!
      Abs,
      Luiz Cola

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO