Harmonização: 4 sommeliers ensinam a valorizar a sobremesa usando o vinho certo!

  • Luiz Cola
  • 31/ago/2012
  • 2 Comentários

Quando você coloca uma colher de musse de chocolate belga na boca e agradece aos céus pelo sabor maravilhoso, saiba que essa experiência pode se tornar ainda melhor, tudo depende da bebida escolhida para acompanhar o doce. Neste caso, do vinho certo. “Um dos segredinhos para combinar sobremesa com vinho é tentar aproximar o nível de açúcar, para que um não se sobreponha ao outro”, ensina a sommelière Jô Barros, consultora da importadora Sonoma. Além da especialista, os sommeliers Manoel Beato, do Fasano, Tiago Locatelli, do Varanda, e Yugo Miyashita, do Arola Vintetres, dão dicas de harmonização e indicam algumas guloseimas que vão bem com determinadas garrafas. Veja abaixo e corra para a doceria mais próxima.

Sobremesas com café
Jô Barros aconselha buscar tipos mais licorosos, um pouco oxidados e que lembrem o aroma do café. Geralmente, esses vinhos têm um gosto de envelhecido.
Sobremesas: affogato, fondant de café, tiramisu.
Harmonização: vinho marsala, Vin Santo, Jerez de Pedro Ximénez.
Sobremesas com chocolate
O cacau, a gordura e o açúcar pedem algo mais forte, com mais acidez, aroma e sabormarcante. Por isso, nada de brancos. Como são leves demais, desaparecem por completo ao serem apreciados com a sobremesa. Manoel Beato lembra que o rótulo deve ter toda a intensidade do chocolate.
Sobremesas: bolo com calda de chocolate, brownie, brigadeiro gourmet, cupcake de brigadeiro, mousse de chocolate, trufas.
Harmonização: Banyuls, Jerez de Pedro Ximénez, vinho do Porto LBV.
Sobremesas com doce de leite
Por ser extremamente açucarado, esse tipo de doce pede uma bebida que enfrente essas características. O indicado, então, é um rótulo com muita acidez para não deixar a sobremesa enjoativa. No caso do tradicional pudim, Tiago Locatelli recomenda um vinho aveludado, com dulçor na medida certa, aromas e sabores de frutas secas e cristalizadas.
Sobremesas: alfajor, churros, doce de leite com queijo, pudim de doce de leite.
Harmonização: H. Simões Moscatel de Setúbal 2006, Tokaji, vinho do Porto branco, vinho tipo sauternes.
Sobremesas com frutas
Yugo Miayashita explica que, para não “esmagar” o sabor delicado da sobremesa, doces como torta de maçã, pêssego e outros precisam de uma bebida mais delicada. Leveza, baixo teor alcoólico e aromas cítricos devem ser características do rótulo escolhido.
Sobremesa: salada de frutas, strudel , torta de maçã ou pêssego.
Harmonização: Moscato d’Asti, vinho tipo sauternes.
Sobremesas com frutas secas
Invista em garrafas envelhecidas, mas não muito oxidadas. O ideal, segundo Manoel Beato, é um vinho branco doce com mais de 10 anos de idade ou um Porto com 10 ou 20 anos.
Sobremesas: doces árabes, panacota de frutas secas, suflê de frutas secas, torta de nozes, macaron e bolo da vovó, daquele simples, sem cobertura e recheio.
Harmonização: vinho branco, vinho do Porto Tawny, o italiano Passito di Pantelleria, vinho Madeira Malmsey.
Fonte: Anna Carolina Oliveira (Veja SP)

Publicidade

2 COMENTÁRIOS

  • jucélia claudino - 13 de novembro de 2017 às 23:27

    gostaria de saber que tipo de vinho australiano harmoniza com um cardapio Italiano classico

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 14 de novembro de 2017 às 08:14

      Olá Jucélia,
      Não vejo muito sentido nessa questão. Um cardápio italiano clássico vai pedir vinhos baseados em castas (no caso de tintas) como a Sangiovese, Nebbiolo, Barbera e outras tipicamente italianas. Na Austrália, as tintas prevalentes são a Shiraz e a Cabernet Sauvignon, ou seja, tintas mais concentradas e encorpadas, com acidez mais modesta. Se for por uma questão de “desafio”, vá lá…
      Outra coisa, “cardápio italiano clássico” é uma descrição muito genérica e cheia de opções. Você precisaria ser mais específica…
      Abs,
      Luiz Cola

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO