Conheça os 50 vinhos mais caros do mundo segundo o site de buscas Wine Searcher!

  • Luiz Cola
  • 08/ago/2015
  • 34 Comentários

O site Wine Searcher é um gigantesco motor de buscas de vinhos cuja base de dados reúne exatas 54.876 listas de preços compiladas a partir de lojas de vinho espalhadas pelos quatro cantos do planeta. São nada menos que 7.307.538 ofertas de vinhos que abrangem praticamente todos os rótulos de produção comercial do mundo.

Como faz todos os anos, o Wine Searcher atualizou no início deste mês de agosto seu conjunto de listas com os melhores vinhos do mundo em diversas faixas de preço e também a mais interessante delas: a lista dos 50 vinhos mais caros do mundo!

A lista da Wine Searcher considera o preço médio de cada vinho seguindo uma metodologia bastante coerente, que desconsidera preços de leilão e que independe de oscilações para cima ou para baixo em uma safra em particular.

O eterno campeão: Henri Jayer Richebourg
O eterno campeão: Henri Jayer Richebourg

Sem contar com grandes alterações, o Top 50 dos vinhos mais caros do mundo continua com um pódio totalmente dominado pelos grandiosos tintos da Borgonha (na verdade, são 15 tintos e brancos dessa região entre os 20 mais caros): 2 deles produzidos pelo já falecido produtor Henri Jayer (Richebourg e Vosne-Romanée Cros Parantoux) e o conhecidíssimo Romanée-Conti, o maior entre os vinhos elaborados pelo Domaine de la Romanée-Conti.

A combinação que explica por que esses vinhos atingem preços tão estratosféricos inclui uma série de variáveis, mas três delas costumam ser as mais importantes: altíssima qualidade, produção minúscula e uma disposição quase insana de colecionadores e investidores para pagar cada vez mais por uma simples garrafa de vinho.

Para ver mais detalhes, inclusive os preços de todas as safras disponíveis de cada um dos 50 vinhos que compõem a lista, basta clicar sobre seu nome sublinhado:

 

Publicidade

34 COMENTÁRIOS

  • Ferreira - 2 de junho de 2016 às 09:20

    Bom dia, uma garrafa de vinho portugues , maduro tinto , 0,75 l , EVEL 12º, Real Companhia Vinicola do Norte de ´Portugal , 1965 , fornecedora da Presidencia da Republica Portuguesa , qual o valor
    Desde já,agradeço a atenção pela informação.
    Bom dia

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 2 de junho de 2016 às 11:39

      Olá Ferreira,
      A loja Garrafeira Nacional está vendendo o mesmo vinho (safra 1966) por 47,50 euros. Acredito que o seu, se estiver em boas condições de guarda, deve valer o mesmo.
      Abs,
      Luiz Cola

  • qual vinhos bons para começar a apreciar - 22 de novembro de 2016 às 14:47

    gostaria de saber de bons vinhos vou viajar para fora e qro trazer para montar uma dega

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 22 de novembro de 2016 às 15:49

      Seja um pouco mais específico: para onde vai, por exemplo. Fica mais fácil indicar algo que possa encontrar em seu destino de viagem.
      Abs,
      Luiz Cola

      • Gilson - 21 de agosto de 2017 às 21:08

        Quanto está avaliado uma garrafa de chateau angelus?

        • Luiz Cola

          Luiz Cola - 21 de agosto de 2017 às 21:10

          Olá Gilson,
          O preço vai variar (e bastante) conforme a safra e o estado de conservação da garrafa.
          Qual é a sua?
          Abs,
          Luiz Cola

  • Gostaria de saber a razão do PETRUS não está relacionado?? - 19 de janeiro de 2017 às 15:13

    A listagem não cita o PETRUS, porque razão???

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 19 de janeiro de 2017 às 16:14

      Paulo,
      Consulte a lista novamente… O Petrus aparece em 18º lugar!
      Abs,
      Luiz Cola

  • João Nunes Soares - 21 de abril de 2017 às 21:27

    Luiz, qual sua avaliação dos Concha Y Toro?
    Abs

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 25 de abril de 2017 às 10:26

      Olá João,
      A Concha y Toro é uma das maiores vinícolas do mundo e produz dezenas de rótulos distintos. Assim, em linhas gerais, posso dizer que ela tem o mérito de produzir ótimos vinhos numa escala industrial, acessíveis ao grande público.
      Por outro lado, para quem busca vinhos de “autor” ou de um determinado “terroir”, é melhor seguir em outras direções.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Soraia - 30 de maio de 2017 às 14:55

    Bom mesmo e vinho PERGOLA, CHALISSE, SÃO ROQUE…………

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 30 de maio de 2017 às 16:52

      Olá Soraia,
      O mundo do vinho tem espaço para todo os gostos e bolsos…
      Abs,
      Luiz Cola

  • Sonia - 30 de maio de 2017 às 17:32

    Luiz coia adorei suas respostas não entendo muito de vinhos. Entrei por curiosidade. Parabéns

  • Heloiza Helena Piló - 7 de junho de 2017 às 13:17

    Amo vinhos. Gosto dos tintos secos. .

  • Antonio - 12 de junho de 2017 às 20:31

    Olá meu amigo!
    Quero presentear um amigo com um bom vinho, ele gosta do Caymus, dom meuchior etc…
    queria um vinho safra mais antiga uva malbec o que vc me indica? E vc vende tb?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 13 de junho de 2017 às 00:19

      Antônio,
      Tudo depende de quanto pretende gastar…
      Se quer dar um Malbec, os vinhos da Catena Zapata, da Achaval Ferrer e da Cobos são ótimas opções.
      Para achar safras mais antigas, sugiro pesquisar em lojas online.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Rodrigo Teixeira - 13 de junho de 2017 às 21:00

    Parabéns Luiz Cola pelas ótimas informações publicadas em seu blog.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 14 de junho de 2017 às 18:43

      Obrigado Rodrigo!
      Espero que continue apreciando o conteúdo do blog Vinhos e mais Vinhos.
      Se quiser acompanhar mais de perto os vinhos que degusto, siga meu perfil (@luizcola) no Instagram.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Reginaldo Sant'Anna Ribeiro - 30 de junho de 2017 às 21:33

    Parabéns pela cordialidade e respostas simples e objetivas.
    Herdade do Esporão não tem vinhos de nível pra estar nessa lista? Pelo que consta não, mas pode me dar alguma orientação?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 2 de julho de 2017 às 16:00

      Olá Reginaldo,
      A Herdade do Esporão elabora ótimos vinhos, mas eles estão longe de custar tão caro quanto os que aparecem nessa lista.
      Os fatores para inflar os preços são diversos, mas predominam a baixa produção e a fama elevada como justificativa para isso.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Wilson j amorim - 4 de julho de 2017 às 23:24

    Tenho um chateau duvalier reserva D limitada .gamay vindima 1986.qual o valor meu zap 61 99155 1175

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 5 de julho de 2017 às 10:25

      Olá Wilson,
      Lamento, mas ambos os vinhos são bastante simples e possivelmente nem estão mais potáveis passados todos esses anos.
      Não possuem valor comercial relevante.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Dinez Mota - 6 de julho de 2017 às 04:44

    Olá Luiz gostaria de saber qual o fator principal que faz um vinho ser melhor que o outro? ano? tipo de uva? ou marcas? estou iniciando no vinho e queria algumas dicas sua em vinho até R$200.00 qual me indica? obrigado

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 6 de julho de 2017 às 16:10

      Olá Dinez,
      Todos esses fatores tem sua importância relativa na qualidade de um determinado vinho. O estilo e o gosto pessoal também tem certa influência nessa percepção.
      Como indicação abaixo de R$200, eu teria inúmeras opções para te dar, mas se fosse escolher um vinho que tem um perfil de gosto bem agradável e fácil de beber, eu indicaria algum Cru do Beaujolais (Morgon, Fleurie ou Moulin a Vent, por exemplo).
      Um que gosto muito é o Morgon de Jean Foillard, vendido na Cellar por R$180.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Siuluis - 13 de julho de 2017 às 17:32

    Estou de passage por bordeaux . Fazer uma pequena adega a preço razoavel de 250 e.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 14 de julho de 2017 às 09:10

      Olá Siuluis,
      Considerando uma caixa de 6 garrafas, você teria um preço médio de 40 euros por garrafa nesse orçamento de 250 euros.
      Procure por vinhos de Pessac-Léognan, habitualmente mais em conta, e por “segundos vinhos” de outros châteaux.
      Deixo-lhe duas boas sugestões: Château Le Puy, vinho natural um pouco fora do radar dos turistas e que tem ótima qualidade, e o L’Esprit de Chevalier (segundo vinho do Domaine de Chevalier).
      A loja L’Intendant, bem no centro de Bordeaux, pode ser uma boa opção para você encontrar e comprar seus vinhos.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Luiz Cola - 27 de julho de 2017 às 20:25

    Desejo saber qual o vinho mais caro do mundo e o valor

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 29 de julho de 2017 às 10:54

      Abra a postagem e verá a lista dos 50 mais caros. O Richebourg de Henri Jayer lidera esse ranking.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Michele - 27 de julho de 2017 às 22:55

    Olá Luiz, por gentileza qual vinho da Borgonha você me indicaria! Grata, Michele.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 29 de julho de 2017 às 10:58

      Olá Michele,
      A Borgonha é uma região muito complexa e com vinhos cujos preços variam muito. Um Borgonha básico de qualidade vai custar acima de 150 reais, um 1er Cru passa dos 300 e um Grand Cru mais de 800 reais. Em que categoria você estaria disposta a investir?
      Abs,
      Luiz Cola

  • Adriano - 2 de agosto de 2017 às 22:03

    Caro Luiz
    Tenho um vinho português, da Calçada
    Bairrada (região demarcada)
    Reserva
    Safra de 1985, vc tem idéia de valor desse vinho?
    Grato pela informação, abraço

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 2 de agosto de 2017 às 22:09

      Olá Adriano,
      Não conheço esse vinho e nem achei no wine-searcher. Tente consultar a loja Garrafeira Nacional em Lisboa.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Francisco Almeida - 11 de agosto de 2017 às 23:37

    Luiz Cola, parabéns pelo seu profundo conhecimento e esclarecimentos a respeito do mundo do vinho.
    Tenho uma dúvida e gostaria q vc me ajudasse: os vinhos produzidos e consumidos na época de Jesus(ex.o primeiro milagre, transformar água em vinho), eram produzidos com as mesmas técnicas e quais uvas eles utilizavam?
    Obgdo,
    Francisco.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 12 de agosto de 2017 às 19:49

      Olá Francisco,
      Segundo os diversos autores que estudaram esse assunto, os processos de vinificação eram bem rudimentares (alguns produtores de vinhos naturais de hoje tentam reproduzi-los), fermentados em lagares de pedra ou ânforas de barro. Além disso, muitas vezes esses vinhos eram “aditivados” com ervas, mel e outras substâncias. Em suma, eram vinhos bem diferentes dos atuais.
      Abs,
      Luiz Cola

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO