Sustentabilidade: Vinho argentino contribui para o reflorestamento de espécies nativas!

  • Luiz Cola
  • 09/out/2017
  • 1 Comentário

A produção de vinhos orgânicos, naturais e de pequena escala, costuma ser muito mais saudável para o meio ambiente onde ele é elaborado, bem como para o organismo de seus consumidores. Afinal, a presença de produtos químicos, como o anidrido sulfuroso (SO2), é mínima e praticamente não há resquícios de pesticidas no vinho, nem no solo dos vinhedos de onde vieram suas uvas.

Agora há um novo vinho argentino, 100% orgânico, que se propõe a ir além desses cuidados com o homem e a natureza: o Regeneración (nas versões Bonarda e Malbec). Ele também leva em consideração o impacto que a produção vinícola tem no meio ambiente e reverte uma parcela do valor de venda dos vinhos para a Fundação Tikun, especializada na regeneração da biodiversidade por meio do reflorestamento com espécies nativas. No caso, algarrobos que foram desmatados nas províncias argentinas de Mendoza e San Juan.

Regeneración Bonarda 2014

Com esse foco nessa questão de sustentabilidade na produção de vinhos, o Regeneración reverte 50 centavos de dólar para cada garrafa vendida diretamente para a Fundação Tikun. Ela já reflorestou assim mais de 28 hectares com árvores nativas na região de Mendoza, na Argentina.

Falando do vinho em si, degustei o Regeneración Bonarda 2014 na semana passada e fiquei bastante satisfeito com o que encontrei. Como havia descrito no meu instagram, ele apresenta boa expressão de fruta, sem os exageros (ainda frequentes) na maturação das uvas, gerando um tinto bem equilibrado, com teor de álcool civilizado (13,1°) e bom nível de acidez. É um vinho muito agradável, sem maquiagens e facílimo de beber! Para melhorar, ele tem um preço de varejo bastante razoável para seu patamar de qualidade: R$85.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO