Cartão-postal do Espírito Santo

  • 23/maio/2017
  • 1 Comentário

Vila Velha completa nesta terça-feira, dia 23 de maio de 2017, 482 anos. A cidade mais antiga do Estado tem várias razões para comemorar. As belezas naturais e o patrimônio histórico são alguns dos motivos de orgulho para os canelas-verde.

Em uma série de cinco matérias, vamos levar até você o que há de melhor na região. Na primeira reportagem você conhece um pouco dos principais pontos que fazem da cidade um verdadeiro cartão-postal para o Espírito Santo.

Convento da Penha

Convento da Penha. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Convento da Penha. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta

O monumento, localizado a 154 metros de altitude, existe desde 1562, quando o Frei Pedro Palácios coordenou a construção de uma capela dedicada a São Francisco entre duas palmeiras. Em 1566 teve início a construção da ermida de Nossa Senhora da Penha do Espírito Santo. Em 1750 a obra foi ampliada. Ainda hoje é considerado o maior patrimônio religioso do Estado.

 

 

Frei Pedro Palácios

Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta

O Frei Pedro Palácios, natural de Medina do Rio Seco, Espanha, chegou à região hoje conhecida como Prainha em 1558. Ele foi, alguns anos mais tarde, encarregado da construção de uma ermida no alto do morro da Penha. Na época ele tinha encomendado de Lisboa uma imagem de Nossa Senhora, que daria origem ao culto à Nossa Senhora da Penha no Estado. O religioso faleceu em 1570, na capela de São Francisco, no dia seguinte aos festejos da Penha.

 

Igreja do Rosário

Igreja do Rosário. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Igreja do Rosário. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta

A Igreja do Rosário, na Prainha, é a mais antiga do Estado e desde 1950 foi tombada como patrimônio histórico. A estrutura começou a ser construída em 1535 por Vasco Fernandes Coutinho. Em 1751, ganhou uma Pedra D’Ara, com relíquias (como fragmentos de ossos) de São Colombo e São Liberato.

 

Farol de Santa Luzia

Farol de Santa Luzia. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta

Construído com chapas de ferro fabricadas na Escócia, erguido em 1870 e inaugurado em 1871, com iluminação inicial a querosene, o Farol de Santa Luzia é um dos principais pontos turísticos do Espírito Santo. Com 17 metros de altura e alcance de 32 milhas marítimas, hoje é iluminado por lâmpadas 300 watts e serve de orientação para navegação direcionada aos portos de Vitória, Vila Velha e Tubarão.

 

Terceira Ponte

Terceira Ponte. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta

A Terceira Ponte, oficialmente Ponte Deputado Darcy Castelo de Mendonça, liga os municípios de Vitória e Vila Velha. É a quinta maior ponte do Brasil, com 3,33 km de extensão, vão principal com 70 m de altura e 260 m de um pilar ao outro. O primeiro pilar da Terceira Ponte foi concretado em 1978 e foi concluído em 1989. A ponte iniciou operando com 12 mil carros por dia, e em outubro de 1992 já eram 15.964 por dia, em média. Atualmente passam pela Terceira Ponte, diariamente, cerca de 70 mil veículos.

 

 

Bondinho

Bondinho. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta

Em exposição permanente na Casa da Memória de Vila Velha, o bondinho é um retorno ao passado. Dois veículos circulavam pelas ruas de inúmeros bairros da região, desde 1912, ligando o bairro Paul até o Centro da cidade.

Cada bonde tinha 12 metros de comprimento e atingia velocidade de 30 km/h. Comportava aproximadamente 50 pessoas sentadas, 36 em pé na lateral e cerca de 20 pessoas em pé no meio do carro.

O desenvolvimento da região do Centro da cidade, em torno da Praça Duque de Caxias, teve seu início com a chegada dos bondinhos. Ele funcionava o dia inteiro, até às 10 horas. Suas atividades foram paralisadas em 1960. Em 2015, um bondinho foi restaurado e agora pode ser visitado na Casa da Memória de Vila Velha, na Prainha.

 

 

Praias

Praias de Vila Velha. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Praias de Vila Velha. Foto:  Estúdio Gazeta

_dsc9993

Vista do litoral. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta
Vista do litoral. Foto: Wilton Prata / Estúdio Gazeta

Banhada por águas salgadas em um litoral de 32 quilômetros, Vila Velha é uma das cidades com as praias mais bonitas do Espírito Santo.  Praia da Costa, Praia de Itapoã e Praia de Itaparica são as mais frequentadas por quem mora na Grande Vitória.

As águas geladas, areia grossa e castanheiras desenham um visual digno de cartão-postal. Os visitantes encontram bares, restaurantes e quiosques em toda a extensão das praias.  A Praia da Costa é ideal para quem gosta de mar calmo. Já em Itapoã, é possível acompanhar a tradição da Colônia de Pescadores .  Em Itaparica ficam a maioria dos quiosques.

O litoral da Ponta da Fruta e da Barra do Jucu, onde o mar é mais agitado, é point da galera que gosta de esportes como bodyboard e surf.

Publicidade