Teatro e artes plásticas juntos para a criançada nesse final de semana!

  • Ilvan Filho
  • 16/mar/2016
  • 0 Comentários

03) O MENINO QUE MORDEU PICASSO - teatro infantil; RODRIGO PAVON - ator; JULIETA BACCHIN - fotógrafa.
Fotos de Julieta Bacchin.

Essa dica é especial, galerinha! Teatro, artes plásticas, música e muita diversão de primeira qualidade! A gente vai encontrar isso tudo junto no premiado espetáculo infantil “O Menino que Mordeu Picasso”, que estará em cartaz nos dias 19 e 20 de março no Theatro Carlos Gomes, em Vitória.

A peça conta uma aventura onde um dos maiores pintores da história da humanidade, o artista espanhol Pablo Picasso, em uma visita à Inglaterra, é mordido por Tony, um garoto de seis anos. Irreverente e impulsivo como poucos, o pintor revida e morde o menino de volta. A partir daí começa uma fantástica história de amizade entre a criança e o pintor.

Livremente inspirado no livro homônimo de Antony Penrose, a adaptação para os palcos é de Marcelo Romagnoli, que também dirige a montagem, que foi contemplada pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2015/2016. O público da peça também terá a chance de conferir a exposição “Picasso – Guernica e o Século XX”, que funcionará no hall do teatro durante a micro temporada.

Nos dias 16, 17 e 18 de março, antecedendo as sessões abertas ao público geral, a peça será apresentada para alunos da rede pública de ensino. Serão cerca de 800 estudantes vindos de 15 escolas de diferentes municípios da Grande Vitória. Todas as apresentações contarão com tradução simultânea para Libras, promovendo a acessibilidade às pessoas com deficiência auditiva.

Ao narrar as visitas do Tony ao atelier de Picasso e a amizade estabelecida entre os dois, o espetáculo fala sobre a grandeza de ser criança e mostra o processo criativo de um dos artistas mais expressivos da história moderna. Em alguns momentos o menino é o próprio artista quando jovem. A essência da peça pode ser resumida com a citação do próprio Picasso, que disse: “Passei a vida tentando aprender a pintar como uma criança”.

A peça já recebeu dois importantes prêmios nacionais: o APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte – e o Prêmio Femsa de Teatro, ambos na categoria Melhor Ator para Fábio Espósito. O espetáculo já circulou por diversas cidades do país, como: São Paulo, capital e interior, Curitiba e Salvador.

O elenco formado por Espósito, ator com grande influência clownesca, com passagem pelo Cirque Du Soleil e com 20 anos de carreira; e Rodrigo Pavon, que veio do grupo paulistano Club Noir.  O público é transportado para o atelier de Picasso em Cannes, na França em 1956 no cenário assinado por Marisa Bentivegna, que reproduz e apresenta diversas obras do artista, num grande jogo de cores, com a porta de entrada em destaque. A cenografia possui reproduções de obras do pintor tanto em pintura, como cerâmica, esculturas e outras feitas com sucata que ele recolhia pelas ruas. As máscaras usadas em cena foram criadas por Maria Cristina Marconi, inspiradas em esculturas de Picasso.

Os figurinos pintados à mão levam a assinatura de Fábio Namatame.  A trilha original é de Morris Picciotto, que leva para uma brincadeira com os timbres de desenho animado. Em algumas cenas mistura sonoridades espanholas com composições clássicas da vanguarda da época, como Igor Stravinsky.

01) O MENINO QUE MORDEU PICASSO - teatro inf.; FABIO ESPOSITO e RODRIGO PAVON - atores; JULIETA BACCHIN - fotógrafa
Para conhecer Picasso

Acompanha o espetáculo a exposição “Picasso – Guernica e o Século XX”, que é composta por painéis de reproduções da obra de Picasso e que ocupará o hall do Theatro Carlos Gomes. Essa mostra funcionará como uma preparação para a peça, pois será visitada pelo público antes das apresentações. A exposição foi organizada pelo Prof. Mivaldo Messias Ferrari da UNIARA, Centro Universitário de Araraquara, e tem o intuito de contribuir com o entendimento sobre o contexto histórico, a importância e influência do pintor no mundo.

Ao final das apresentações para os alunos da rede pública de ensino, a plateia também será convidada para uma conversa sobre a obra de Pablo Picasso e sobre sua relação com a produção do artista plástico capixaba Homero Massena. Já o público das apresentações abertas, poderá participar de debates sobre o fazer teatral que contarão com a participação de grupos ou companhias teatrais locais. A micro temporada da peça em Vitória “O Menino que Mordeu Picasso ” conta com a parceria da Secretaria de Estado de Educação do Espírito Santo (Sedu).
SERVIÇO

Espetáculo “O Menino que Mordeu Picasso”

Local: Theatro Carlos Gomes,

Praça Costa Pereira, Centro – Vitória-ES

 

Bilheteria:

Valor: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)

Temporada: 19 e 20 de março de 2016

Horário: 16 horas

Duração: 50 minutos

Faixa etária: Livre para todas as idades.

Tema e Conteúdo: tema livre para todas as idades, conteúdo lúdico e imagético.
Vendas na bilheteria no Theatro Carlos Gomes e no site ingresso.com
FICHA TÉCNICA

Adaptação, texto e direção: Marcelo Romagnoli

Elenco: Fábio Espósito e Rodrigo Pavon – (Luís Deschamps – ator substituto)

Cenário e Luz: Marisa Bentivegna

Figurino: Fábio Namatame

Música composta e trilha original: Dr. Morris

Máscaras: Maria Cristina Marconi

Assistentes de Cenografia e Pintura: Ayelén Gastaldi e Júlia Saldanha

Assistente de figurinos: Juliano Lopes

Operação de Luz: Antonio Bezerra

Operação de Som: Maria Célia Carvalho

Fotos: Julieta Bacchin

Design gráfico: Denise Bacellar

Produção Executiva: Anna Zêpa e Fábio Espósito

Produção: Beijo Produções Artisticas

Produção local: Lab.Muy (Assessoria de Imprensa: Paulo Gois Bastos / Assistência de Produção: Anderson Bardot)

Publicidade

0 COMENTÁRIOS

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO