Roteiro de Viagem: Cancún – parte 1 (Voo, imigração, hotel Paradisus)

  • Thainá Castro
  • 31/jan/2018
  • 0 Comentários

Amores! Quem me acompanha lá no instagram sabe que passei a virada de ano de 2017 para 2018 em Cancún com a família do meu namorado. Mas viajei alguns dias antes, dei uma passadinha nos EUA pra visitar minha irmã, minha sobrinha e meu cunhado, que não os via desde de Junho/2017. Mas essa parte eu não vou falar muito por aqui, rs..

Meu vôo para Cancún saiu de Houston (nos EUA) por volta das 9h e pouco da manhã. Mas antes de começar a falar dos dias de descanso, preciso situar vocês por completo.. Eu estava em Austin na casa da minha irmã.. meu voo de Austin pra Houston tinha a chegada prevista para as 8:30, ou seja, eu só teria aproximadamente 50 minutos pra sair do avião, procurar meu portão e entrar em outro avião. Não tivemos atrasos, mas o portão que eu cheguei era EXTREMAMENTE longe do portão que eu embarquei… comecei a correr desesperadamente no aeroporto pra encontrar meu terminal e meu portão. Por isso quero deixar duas dicas VALIOSAS: A primeira, pegue no mínimo 2h de diferença entre um voo e outro, dessa forma você evita correria e um stress danado. A segunda é que se a diferença entre um voo e outro for pequena, principalmente se um desses trechos for internacional, leve uma boa quantidade de roupas, acessórios, sapatos e o que mais for preciso na sua mala de mão, para passar uns dois dias… isso porque sua mala corre SÉRIO risco de não chegar a tempo, porque imaginem só: Tirar as bagagens do avião/ achar a “sua”/ colocar no outro avião.. tudo isso leva tempo! Eu fui preparada porque meu cunhado me alertou para esse possível problema!

Presentinho que meu pai me deu de surpresa no dia da viagem. Tudo a ver né? Um berloque de caveira mexicana pra minha pulseira

 

Pois bem.. depois de todo o stress (porque eu fico REALMENTE estressada – já imaginava que perderia o voo, que ia me dar mal quando chegasse em Cancún, porque todos já estariam no hotel e eu teria que “me virar” -.. estava QUASE chorando enquanto corria naquele GIGANTE aeroporto de Houston), cheguei a tempo de entrar no voo!
Pouco mais de 2h depois, pousamos em Cancún! – Fiquei chateada porque não estava na janela e o casal que estava optou por fecha-la.. como eu estava ansiosa, fiquei um pouco frustrada por não ter visto aquele marzão lá de cima mas tudo bem – e lá fomos nós enfrentar uma fila imensa (não tão grande quanto a do embarque internacional em São Paulo e a de imigração nos EUA, mas mesmo assim, era grande) de aproximadamente 25 minutos. Mas até que passou rápido porque eu estava distraída olhando aquela variedade de nacionalidades num só lugar!

Esqueci de contar que durante o voo, entregaram um formulário de imigração bem parecido com aqueles americanos mesmo.. tudo em espanhol! NOTA: APELIDO É SOBRENOME! rsrsrs LEMBRE´-SE SEMPRE DISSO. hahahaha Preenchi e fui com ele na mão para o guichê da imigração.. ao chegar minha vez, não perguntaram absolutamente NADA. Me deram um OUTRO formulário pra preencher praticamente igual ao que eles tinham dado no avião, mas pelo que percebi, aquele que foi entregue “não valia mais”. Preenchi tudo, entreguei, carimbaram meu passaporte e pronto.

Fui para as esteiras de bagagem e fiquei PASMA quando vi minhas DUAS malas lá! (pra quem não viu no instagram, eu contei que quando eu cheguei nos EUA só uma mala minha havia chegado). Realmente eu não acreditei que seria possível tirar minha mala de um avião para o outro em tão pouco tempo mas a UNITED conseguiu. Me surpreendeu.
Peguei as malas achando que já estaria “livre”… mas me deparei com a tal REVISTA que todos falaram que no México é bem séria. Tive que apertar um botão e a luz – graças a Deus – foi verde.. Quando a luz dá vermelho, você é encaminhado para inspeção e “convidado” a abrir suas bagagens . É coisa de sorte/azar mesmo.
Desembarcamos no México e toda a galera que tinha ido com a gente já havia chegado no hotel.. nós sonsamos neste quesito! Não procuramos saber se o hotel tinha traslado e fomos direto pros táxis..
PREPARE-SE: a saída do aeroporto é uma LOUCURA! Acredito que por ter ido em época de réveillon o aeroporto estava mais cheio do que o normal. Pesquisamos alguns preços de taxi e pagamos cerca de 40 dólares para o trajeto que tinha aproximadamente 20 minutos (achamos o preço “ok” porque a média era de 80 dólares)… entramos pra fila do táxi – tudo tem fila SENHOR!!! – e nos disseram que demoraríamos cerca de 20 minutos esperando em pé, mas na verdade esperamos 1 HORA E 10 MINUTOS – a essa altura eu já estava MUITO nervosa, cheia de malas, casacos porque estava vindo do frio, bolsas, calor, fome, cansaço -. Neste ponto a cidade pecou muito, faltou serviço para atender aquela multidão de turistas.

*Outra dica: Se informem! Fiquem atentos aos “taxis”, têm muitos espertinhos querendo ganhar em cima de turistas. Nós fomos com a empresa que parecia mais “oficial” da cidade, rapazes todos uniformizados com uma camisa azul. O problema é que na hora de oferecer o serviço eles te perguntam se você quer ir com outras pessoas ou prefere ir num taxi particular. Optamos pelo particular porque sabíamos que ao dividir teríamos que ir parando em vários hotéis e nós estávamos com certa pressa. Pagamos e ficamos com nosso papel na mão.. Um certo tempo depois um outro rapaz da mesma empresa veio nos perguntar se queríamos ir mais “rápido”, ou seja, num carro compartilhado. Mas nós havíamos PAGO a mais pra irmos sozinhos e não aceitamos. Meio mal caratismo da parte deles.. Fora que eles davam TOTAL prioridade aos que estavam compartilhando os carros.. Até que o rapaz que estava na nossa frente começou a arrumar uma confusão e passaram a atender a fila das pessoas que iam em carros particular.

Pois bem, chega de confusão e ansiedade… vamos falar do HOTEL.

Nosso hotel escolhido foi o Paradisus Cancún (eles têm instagram, dá uma olhadinha aqui). Preciso deixar um agradecimento oficial e REGISTRADO ao meu cunhado Rogério pela escolha do hotel! SENSACIONAL.
O hotel é dividido em 5 pirâmides: A primeira é a do Royal Service, que é um valor “a mais” que você paga para ficar nessa ala. Nós não ficamos nessa pirâmide, mas vimos que eles têm uma piscina exclusiva, área de café da manhã restrita e é proibido crianças.. mas li algumas coisas a respeito na internet sobre a possibilidade de você ter um mordomo com você, entre outras coisas! Dá um google aí pra saber mais… rs. As outras pirâmides são quartos “normais”. Nós ficamos na pirâmide 4 e confesso que só aprendemos a chegar no nosso quarto nos dois ultimos dias… Tudo isso porque o hotel é ENORME e você se perde MESMO se você não gravar o caminho até seu quarto.

Falando da arquitetura do hotel, minha visão como arquiteta: QUE ARQUITETURA! As pirâmides foram certeiras para que os hospedes pudessem aproveitar o visual por completo e a iluminação natural independentemente do andar que eles estejam. Reparem como cada varanda foi projetada um “pouco mais pra frente” que a debaixo, dessa forma a varanda de cima não projeta sombra no apartamento de baixo. Perfeito!

Do lado de dentro, não consigo nem descrever para vocês! Desde o lobby até o meio da pirâmide 2 (que é a que você entra pelo hotel) você fica fascinado com aquela estrutura! Minha dermatologista (Dra Thaiz) já tinha me dado algumas dicas sobre esse hotel que ela já foi algumas vezes, e eu preciso concordar com algo que ela já havia me avisado: Os cheiros do Hotel! Cada lugar tem um cheiro, cada pirâmide um perfume diferente… ao entrar no hotel você já sente aquela fragância. Perfumes doces, tropicais, todos diferentes um do outro. Eles certamente sabem muito sobre memória olfativa. Mas voltando para a parte arquitetônica do hotel.. eles abusam de plantas! Arbustos, flores, trepadeiras, palmeiras, e muito mais! Você vê em toda a área do hotel!! É lindo, traz paz, aconchego…

paradisus cancun

 Hotel Paradisus Cancun

O hotel dispõe de vários restaurantes (não tenho certeza se eram 8 ou mais), que você pode comer a vontade! Apenas dois de todos os restaurantes instalados no hotel não estão no sinstema all-inclusive, ou seja, você tem que pagar por fora pelas refeições nestes dois, os demais o sistema inclui. O restaurante NAOS é onde é servido o café da manhã… lá também é servido todas as outras refeições e você não precisa fazer reserva. ATENTE-SE: Só no NAOS e no BLUEAGAVE (mexicano) que não é necessario fazer reserva para o jantar. Confesso que essa coisa de fazer reserva nos restaurantes é meio chato! Mesmo estando num grupo de 10 pessoas a gente esquecia de reservar o restaurante para o jantar… isso porque você não pode fazer todas as reservas em um dia, você só pode reservar um dia antes, ou seja, todo dia você tem que ligar e reservar sua mesa. Apesar de tudo, entendo os motivos do hotel por tal prática..

Falando mais sobre a estrutura externa do hotel… Ele dispõe de uma piscina bem grande para adultos (com direito a barzinho DENTRO da piscina) e outra piscina infantil, acesso fácil a praia, barzinho com vista pra praia com uma espécie de “lounges”, rede de vôlei dentro da piscina, bangalôs e cadeiras de praia, entre outras coisas mais que vou comentar futuramente na parte 2 e 3 dos posts da viagem.

PARADISUS CANCUN

Não posso encerrar sem dizer sobre o nosso quarto! Ficamos em uma pirâmide mais afastada (a 4 como eu contei) e a nossa vista era pra uma espécie de rio/canal/não sei exatamente o que era aquilo – faltei algumas aulas de geografia, sorry! – . Mesmo não acordando com aquele marzão azul todo dia, nossa vista era linda! De quebra ainda tinhamos uma hidro na nossa varanda pra contemplar aquele visual relaxando!
Ah, o quarto em si é bem grande! Bem espaçoso mesmo… mas a decoração não é nada demais! Movéis de madeira com estilo mais antigo, sofá bem simples, nada moderno mesmo. Mas tudo limpinho e confortável. Sem grandes considerações a fazer sobre o quarto mas nada a reclamar! Na verdade minha única reclamação é quanto ao projeto… os arquitetos projetaram o ar condicionado na reta das nossas cabeças e isso contribuiu com que ficássemos doentes no fim da viagem (conto mais sobre isso em outra postagem).

Ufa! Falei demais! heheh mas sei como os mínimos detalhes são importantes para quem está indo viajar e quer se preparar!
Eu mesma senti falta de encontrar conteúdo a respeito de imigração no México… talvez por não ser tão rígido.. mas acho que vale falar como foi minha experiência. Afinal quem me acompanha a mais tempo sabe que nesses posts de viagem eu falo tim tim por tim tim, não é mesmo?

Espero que gostem! E aguardem a parte 2! Onde começo a falar sobre o roteiro/programação que fizemos por lá!
Beijos

Publicidade

0 COMENTÁRIOS

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO