Um Giro d’Italia para nunca mais ser esquecido

  • Marcelo de Oliveira
  • 27/maio/2018
  • 0 Comentários

Que Chris Froome (Sky) sempre foi o favorito para vencer o Giro d’Italia ninguém discute, mas após 18 etapas e com apenas três etapas para o fim, ninguém mais acreditava que ele poderia vencer nesse ano. Isso por conta do tempo de desvantagem de mais de 3 minutos para concorrentes como Yates (surpresa desse Giro) e para o atual campeão Tom Dumoulin.

Mais Chris Froome é Chris Froome, sem dúvida um dos maiores nomes do ciclismo mundial e ai ele fez o que para muitos era impossível. A 19º etapa vai entrar para a história, quando ninguém mais imaginava ele como um possível ganhador, Froome atacou sozinho e andou escapado nada menos do que 80 km, abrindo uma grande vantagem para todos os concorrentes, entre eles Tom Dumoulin que chegou com uma desvantagem de 3minutos e 23segundos. Yates que vinha se mostrando constante e liderando o Giro teve um dia muito ruim, chegando com 38 minutos de desvantagem, terminando a prova foram dos 10 primeiros colocados.

Agora Chris Froome vence as três grandes Voltas seguidas Tour de France (2017), Vuelta da Espanha (2017) e Giro d’Itália (2018). Com esse resultado coloca Froome no mesmo patamar de Eddy Merckx e Bernard Hinault como um dos poucos ciclista a ter o título das três grandes voltas ao mesmo tempo.

Daqui a muitos anos vamos ouvir contar o que aconteceu na 101º edição do Giro. Esse é Chris Froome, o homem que está se tornando um mito, aquele a ser batido.

Publicidade

0 COMENTÁRIOS

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO