Direto da Taça e do Tempo: Taylor’s Tawny 40 anos, Colheita 1964 e Single Harvest Port 1863!

  • Luiz Cola
  • 01/dez/2014
  • 0 Comentários

Nenhum outro vinho permite “viajar no tempo” como um bom Vinho do Porto…
A veracidade dessa afirmação pôde ser plenamente comprovada no último final de semana com uma bela prova de vários Portos produzidos pela Taylor’s Fladgate e apresentados pelo carismático “embaixador” da empresa no Brasil, Duda Zagari. 
Os Tawnies 10, 20 e 40 anos, os Colheitas 1964 e 1863 e o recém-nascido Vintage 2011 (que promete ser cada vez mais espetacular ao longo de todo século XXI ou mais) demonstraram que em qualquer momento de suas vidas, no caso entre os 3 anos (Vintage 2011) e os 151 anos (Single Harvest 1863), esses vinhos esbanjam complexidade, finesse e exuberância capazes de encantar o mais sisudo dos enófilos.
Taylor’s Single Harvest Port 1863
Dentro desse conjunto de vinhos maravilhosos decidi destacar e comentar justamente os três mais envelhecidos, que naturalmente estão mais ricos, complexos e com muita história para contar. Beber um pequeno gole do Single Harvest 1863 equivaleu a absorver em um só golpe, todo o impacto de um século e meio (151 anos para ser preciso) de transformações sofridas por um vinho elaborado antes mesmo que a filoxera destruísse as vinhas europeias no final do século XIX. Vinho com cor de açúcar queimado, nariz caleidoscópico e que termina numa explosão de sensações gustativas cujas palavras não seriam capazes de traduzir. Uma verdadeira joia vínica garimpada pela Taylor’s nas profundezas de suas caves centenárias da qual foram produzidas apenas 1.600 garrafas de fino cristal baccarat acondicionadas em lindos estojos de rádica de plátano.     
Taylor’s Colheita 1964
Outro grande destaque da noite ficou por conta desse Colheita 1964, um Porto lançado no mercado apenas no momento que completou exatos 50 anos e exibe tudo aquilo que se espera de um vinho tão meticulosamente preparado: coloração caramelada e brilhante, aromas intensos de amêndoas, nozes, tâmaras, notas de tabaco, cinzas e mel, finalizando num paladar rico, vívido e sedoso que insiste em não deixar sua presença na boca. Excelente! 

Taylor’s Tawny Port 40 anos
Para finalizar, destaco ainda o Tawny 40 anos, o mais envelhecido e sedutor dos tawnies regularmente produzidos. Apesar de ter um preço um pouco acima de seus similares, o Tawny 40 anos da Taylor’s vale o quanto pesa. Um vinho denso e volumoso, cheio de complexidade aromática, com um grande personalidade no paladar. Sedoso, cheio de frescor e muito longevo na boca. Difícil imaginar que ele possa ficar ainda melhor do que estava. 
Os Tawnies 10 e 20 anos provados na mesma ocasião não ficam muito atrás do 40 anos em linhas gerais, um pouco menos densos e complexos, tem a grande vantagem de custar menos de um quarto do preço de seu irmão mais velho. São tawnies de referência para qualquer apreciador deste estilo de Porto.

Publicidade

0 COMENTÁRIOS

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO