As safras que entraram para a história de Bordeaux: de 1864 a 1990!

  • Luiz Cola
  • 15/abr/2016
  • 2 Comentários

Os viticultores e enólogos que trabalham nos vinhedos de Bordeaux enfrentam há séculos os desafios cotidianos típicos dessa cultura: extremos climáticos (chuva intensa, granizo, seca prolongada, etc…) e as pragas naturais da vinha (fungos e insetos). Dentro desse verdadeiro “campo minado” esses homens e mulheres se equilibram para conseguir extrair o melhor de cada safra.

Porém, em alguns anos abençoados, a natureza conspira à favor desses bordaleses e as condições de desenvolvimento dos vinhedos acontece de maneira próxima à perfeição. Mas essa combinação de elementos capazes de produzir uma safra “perfeita” é muito rara, vista apenas em algumas ocasiões nos últimos 160 anos, desde que a famosa classificação de 1855 foi estabelecida para os melhores vinhos da margem esquerda (Médoc) de Bordeaux.

A safra 2015, cujas vendas en primeur estão prestes a começar, promete ser mais um daqueles anos capazes de entrar para a história de Bordeaux, cuja qualidade será lembrada (e degustada) por muitas décadas. Veja a seguir um retrospecto dos melhores anos (muitas vezes ocorrendo em safras consecutivas) na região desde a histórica safra de 1855:

1864/1865: Uma década após a elaboração da classificação de 1855, Bordeaux teve um par de safras que é considerado como os melhores do período anterior ao surgimento da praga devastadora da filoxera no final do século XIX.

1869/1870: Poucos anos depois, mais um par de grandes colheitas fez história na região. A grande safra de 1869 cedeu espaço para a clássica colheita de 1870, cujas uvas foram colhidas durante o início da guerra Franco-Prussiana (1870-1871) com a Alemanha.

1874/1875: Às vésperas da imensa destruição causada pela filoxera, Bordeaux teve nos anos de 1874 e 1875 mais um par de safras de alta qualidade. Para tornar as coisas ainda melhores, 1875 foi uma safra recorde na região, superada apenas quase um século depois, em 1960.

1899/1900: Já com os vinhedos de Bordeaux replantados em enxertos de vinhas americanas, 1899 e 1900 encerraram o século XIX restaurando a glória dos vinhos feitos na região. Condições climáticas perfeitas possibilitaram vinhos de grande estatura e qualidade excepcional.

1928/1929: Depois das dificuldades causadas pela Primeira Guerra Mundial (1914-1918), os “loucos anos 20” receberam com alegria a grande qualidade obtida nas uvas colhidas nas safras de 1928 e 1929.

1945: Final da Segunda Guerra Mundial! A grande safra daquele ano foi o presente de Bordeaux para o mundo destruído por seis anos de guerra ao redor do mundo. 70 anos depois, os vinhos dessa safra ainda fazem a alegria dos enófilos que tem o prazer de provar um gole de uma das garrafas que chegaram aos dias de hoje.

1947: Com a Europa ainda em reconstrução, Bordeaux viu mais uma safra especial surgir. Devido a um verão extremamente quente, os vinhos se tornaram célebres pela riqueza e concentração cujo maior exemplar é o famoso Cheval Blanc 1947.

1959: Apressadamente chamada pelos negociantes de Bordeaux como “a safra do século “, 1959 é considerado o último grande vintage feito à moda antiga, antes da introdução de técnicas como o controle de temperatura e o uso de tanques de aço inoxidável.

1961: Apesar da geada, de chuvas pesadas e uma seca intensa em agosto, 1961 desafiou todos esses maus presságios e proporcionou uvas perfeitas que se transformaram em vinhos ricos, concentrados e tânicos, cuja recompensa ainda é usufruída por aqueles que os preservaram nas adegas por mais de meio século.

1982: Se a safra de 1959 foi a último elaborada no velho estilo de Bordeaux, 1982 pode ser a primeira da era moderna na região. Depois de 20 anos sem uma safra estelar, as condições meteorológicas quase perfeitas geraram vinhos densos e maduros, sem deixar de oferecer frescor e sutileza.

1989/1990: 60 anos depois da dobradinha 1928/1929, as safras de 1989 e 1990 chegam ao primeiro quarto de século em grande forma, prontos para oferecer o melhor de sua maturidade. Se 1982 moldou o novo estilo de Bordeaux, esses dois anos o consolidaram. Como herdeiros, resta esperar que as próximas décadas confirmem se as safras 2000, 2005, 2009/2010 (e 2015) também vão entrar definitivamente na história da região.

Fonte: The Drinks Business

Publicidade

2 COMENTÁRIOS

  • Marcelo - 18 de março de 2018 às 00:53

    Boa noite!
    Tenho um Château Margaux Grand Cru 1959, conseguem me ajudar a avaliá-lo?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 18 de março de 2018 às 13:15

      Olá Marcelo,
      Tudo depende da conservação do vinho e do estado da garrafa na hora de estabelecer o valor de um vinho como o seu.
      A safra de 1959 foi excelente na região do Médoc (Bordeaux) de onde veio o seu Château Margaux.
      Segundo o wine-searcher, site de buscas especializado em vinhos, seu vinho pode valer entre 600 e 1000 euros, conforme o nível de líquido na garrafa e o modo como ele foi conservado.
      Para vender Aqui no Brasil, pode procurar alguma confraria disposta a comprá-lo para provar em grupo ou anunciar num site especializado. Nesse caso, eu sugiro a você tentar o marketplace http://www.comprowine.com.br
      Abs,
      Luiz Cola

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO