China envia vinhas ao espaço para testar mutações genéticas!

  • Luiz Cola
  • 29/set/2016
  • 0 Comentários

A China possui um gigantesco (e crescente) mercado consumidor de vinhos e já detém um número de vinhas maior que França, tradicional produtor europeu. Em decorrência disso, o país vê na vinicultura um imenso campo para seu crescimento econômico futuro.

Investindo pesado em pesquisa, a China lançou ao espaço seu mais novo laboratório espacial chinês, o Tiangong-2, incluindo nele uma carga muito peculiar: vinhas de Cabernet Sauvignon, Merlot e Pinot Noir.

A ideia dos pesquisadpé avaliar o impacto das radiações cósmicas no material genético das vinhas, no sentido de tornar essas plantas mais resistente ao frio, à seca e aos vírus.

Segundo a versão chinesa da Decanter: “Os cientistas chineses esperam que, cultivando vinhas no espaço, elas possa sofrer mutações que as tornem mais adequadas ao clima rigoroso das regiões vinícolas da China”.

Em Ningxia, a região chinesa mais popular para o cultivo de vinhas, e que é conhecida pelas temperaturas geladas e pelo solo pouco fértil, os agricultores têm muitas vezes de enterrar as vinhas durante o inverno, para evitar que as plantas morram com as temperaturas, que podem chegar aos 25ºC negativos.

De acordo com o mesmo site, as vinhas serão cultivadas durante o tempo de órbita da estação e, no regresso à Terra, serão analisadas e comparadas com um grupo de controle, cujas vinhas foram cultivadas durante o mesmo tempo em solo chinês.

Os cientistas pretendem descobrir eventuais mutações que tornem essas vinhas mais adequadas ao cultivo nos inóspito território chinês.

Fonte: adaptado de Observador.pt

Publicidade

0 COMENTÁRIOS

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO