Direto da Taça: Laberinto Cenizas Pinot Noir 2013, uma preciosidade “vulcânica” vinda do Maule!

  • Luiz Cola
  • 24/nov/2016
  • 2 Comentários

Eu já havia elogiado alguns anos atrás os vinhos elaborados pelo enólogo chileno Rafael Tirado em seu refúgio em Colbun, no Vale del Maule. Na época, seu maior destaque era o elegante Laberinto Sauvignon Blanc Cenizas de Barlovento 2011, eleito um dos melhores brancos chilenos daquele ano pelo guia Descorchados. Dessa vez, os méritos vão todos para seu cativante Pinot Noir Cenizas 2013!

Graças ao cuidado extremo na manipulação de suas uvas de cultivo orgânico, Tirado obteve um vinho bastante peculiar para os padrões habituais da casta no Chile. Fermentado em tanques de cimento (com uvas 1/3 sem prensagem e o restante com suave maceração) o vinho amadureceu em barricas francesas por um ano e mais outro nas garrafas.

Esse Pinot Noir 2013 pode assustar inicialmente por sua baixa limpidez, mas a recompensa aromática e gustativa espanta qualquer dúvida de que estamos diante de um belo vinho. Repleto de aromas que mesclam notas de cerejas frescas, folhas secas e cinzas, ele remete a um estilo “semi-carbônico” de ser. Seu paladar é exuberante e equilibrado, com taninos “arenosos” e um frescor que parece ter sido extraído do imenso lago que cerca os vinhedos plantados em foram de labirinto (eis a razão de seu nome).

Mais um belo Pinot Noir chileno (no mesmo nível do Despechado) que me surpreende e se aproxima bastante do fantástico Montsecano, com uma grande vantagem: custar quase três vezes menos! Importado pela Magnum (preço médio: R$140,00).

Publicidade

2 COMENTÁRIOS

  • Flavio - 1 de dezembro de 2016 às 20:08

    Grande Luiz!
    Tenho amigo que mora em Talca, alí do ladinho do Lago Colbún. Quando o visitei no ano passado fomos ate a Cordillera e passamos ao lado do lago. Fiquei seco para passar na vinícola, mas o tempo tava curto. Na próxima oportunidade, vou lá.
    Você acha que este 2013 aguenta boa guarda?
    Abraços,
    Flavio

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 2 de dezembro de 2016 às 08:32

      Olá Flávio,

      Acredito que sim! Bebi um 2009 no ano passado que estava em perfeitas condições, ou melhor “bão” à beça… rsrs.
      Peguei 6 garrafas desse 2013 e devo beber umas duas por ano. Talvez deixe uma envelhecer algum tempo mais.
      Abs,
      Luiz Cola

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO