Direto da Taça: Carmelo Patti CS 2007, um dos melhores da casta elaborados na Argentina!

  • Luiz Cola
  • 09/mar/2018
  • 6 Comentários

Diante de grande repercussão no meu instagram em torno deste excepcional Cabernet Sauvignon argentino, resolvi fazer um post da série “Direto da Taça” sobre ele, contando um pouco mais sobre sua elaboração e história.

A pequena vinícola de Carmelo Patti surgiu em meados dos anos 1990 e está instalada bem no centro de Luján de Cuyo, nos arredores de Mendoza. A aparência simples e ligeiramente rústica do edifício não sugere aos “enoturistas” que passam por ali que há uma vinícola imperdível de ser visitada, de onde saem apenas três vinhos (Cabernet Sauvignon, Malbec e Assemblage), todos tintos, todos cults.

Fiel ao estilo artesanal de fazer vinhos, o enólogo Carmelo Patti pode ser considerado um dos primeiros “garagistas” da Argentina, cuidando pessoalmente de cada etapa da elaboração de seus vinhos: da seleção das uvas até a etiquetagem das garrafas.

O estilo de seus vinhos foge do padrão moderno vigente na região, com fruta muita madura e uso intenso de carvalho novo. Ele intervém minimamente nos vinhos, valendo-se apenas leveduras indígenas e sem o uso de quaisquer aditivos químicos.

Até mesmo a liberação de seus vinhos ao mercado tem um ritmo próprio, podendo ultrapassar os 5 anos de amadurecimento entre os tonéis de madeira neutra e as garrafas, num processo similar ao adotado nos vinhos espanhóis da Rioja.

Carmelo Patti Cabernet Sauvignon 2007

O Cabernet Sauvignon é seguramente seu vinho mais emblemático e, em minha opinião, o melhor feito 100% com essa variedade na Argentina (pelo menos dentre os inúmeros que já degustei). Um vinho de estilo refinado e clássico, de perfil “Velho Mundo”, que se destaca pelo fino equilíbrio do conjunto, sem qualquer tipo de excesso em seus componentes.

Elaborado com uvas vindas de um único vinhedo situado na zona de Perdriel, esse Cabernet Sauvignon 2007 fermentou e amadureceu inicialmente em tanques de concreto durante 12 meses, seguindo para barricas de carvalho francês usadas (já bem neutras) por igual período. Após o engarrafamento, sem qualquer filtração, o vinho afinou por mais 5 anos antes de ser comercializado.

Diante de tamanho esmero na elaboração do vinho e pela rara autenticidade com a qual Carmelo Patti trata sua matéria-prima, não é surpresa que ele atinja um elevado status qualitativo. O melhor de tudo: ele é substancialmente mais barato que outros badalados vinhos argentinos. Um grande vinho em todos os aspectos!

Publicidade

6 COMENTÁRIOS

  • Kaiser - 9 de março de 2018 às 15:57

    Belas informações sobre este belo vinho . Parabéns…

  • joao - 13 de abril de 2018 às 08:59

    Obrigado pelo post Luiz Cola! tenho ouvido falar muito bem do Carmello, principalmente do Assemblage.
    pode indicar uma loja que trabalhe com ele aqui no Brasil? preferencialmente para compras online.
    Cheers!

  • Sergio - 3 de agosto de 2018 às 18:24

    Realmente um excelente vinho

  • Oscar - 12 de agosto de 2018 às 23:08

    Olá
    Apesar do CS ser o mais famoso vinho do Carmelo, o Cabernet FRANC É UM ESPETÁCULO, para mim, o melhor!!!!!

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 13 de agosto de 2018 às 11:17

      Oscar,
      O CF e o Assemblage do Patti são mesmo excelentes! Minha preferência pelo CS se dá pela longevidade e complexidade observadas desde a safra 1997.
      Abs,
      Luiz Cola

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO