Veja os destaques do Descorchados 2018: os melhores vinhos do guia na América do Sul!

  • Luiz Cola
  • 05/abr/2018
  • 7 Comentários

Idealizado pelo crítico de vinhos chileno Patrício Tápia, o guia Descorchados chega à sua 20ª edição consolidado como uma das maiores referências no mundo dos vinhos da América do Sul.

O guia será lançado em São Paulo, no próximo dia 10 de abril, no Villagio JK a partir das 18:30 horas. Repetindo anos anteriores, o lançamento do Descorchados 2018 acontecerá junto com uma feira de vinhos, contando com a presença de cerca de 100 representantes das vinícolas participantes do Brasil, Chile, Argentina e Uruguai.

O ingresso, no valor de R$150, dá direito a um exemplar do guia e pode ser adquirido online no site Sabor.Club.

Enquanto o dia do lançamento oficial não chega, conheça os principais destaques de cada um dos países participantes no guia:

BRASIL

Espumantes

Adolfo Lona Orus Edição Especial Silvia 1972 Nature Rosé Clair NV – Serra Gaúcha (93 pontos) e Casa Valduga Sur Lie Natura 30 Meses Chardonnay, Pinot Noir NV – Vale dos Vinhedos (93 pontos)

Brancos

Pizzato 1.3 Sémillon 2017 – Vale dos Vinhedos (92 pontos)

Luiz Argenta Cave 8 Anos Chardonnay 2010 – Altos Montes (92 pontos)

Tintos

Miolo Single Vineyards Touriga Nacional 2017 – Campanha Gaúcha (93 pontos)

Miolo Vinhas Velhas Tannat 2015 – Campanha Gaúcha (93 pontos)

Laranjas

Era dos Ventos Peverella 2014 – Serra Gaúcha (94 pontos)

CHILE

Espumantes

Morandé Chardonnay, Pinot Noir NV – Vale Casablanca (94 pontos)

Brancos

Errázuriz Las Pizarras Chardonnay 2016 – Vale Aconcágua (97 pontos)

Tabali Talinay Sauvignon Blanc 2017 – Vale Limarí (97 pontos)

Tintos

Alcohuaz RHU 2011 – Vale Elqui (98 pontos)

Chadwick 2015 – Vale del Maipo (98 pontos)

ARGENTINA

Espumantes

Chakana Ayni Nature Sparkling Wine Pinot Noir N/V – Paraje Altamira (94 pontos)

Chandon Baron B Brut Rosé 2014 – Mendoza (94 pontos)

Brancos

Catena Zapata Adrianna Vineyard White Bones – Mendoza (97 pontos)

Tintos

Gen del Alma Seminare Malbec 2016 – Gualtallary (99 pontos)

URUGUAI

Espumantes

Bodegas Carrau Dixième Brut Nature Chardonnay NV – Las Violetas (92 pontos)

Pizzorno Rosé Brut Nature Pinot Noir 2016 – Canelón Chico (92 pontos)

Brancos

Bodega Garzón Single Vineyard Albariño 2017 – Maldonado (93 pontos)

Tintos
Familia Deicas Valle de los Manantiales Tannat 2016 – Maldonado (95 pontos)

Publicidade

7 COMENTÁRIOS

  • Marcus - 12 de abril de 2018 às 10:48

    O evento ir para o RJ já é um avanço mas um ponto para reflexão: em SP são 100 produtores e no RJ 20! O preço cobrado é o mesmo nos 2 eventos?

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 12 de abril de 2018 às 14:45

      Olá Marcus,
      Até onde eu fui informado, não há diferença nos preços do ingresso, ainda que menos produtores estejam presentes. Lembre-se que a maior parte desse valor deve-se ao guia Descorchados que é entregue no evento.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Brunno Guedes - 14 de abril de 2018 às 08:26

    Olá Sro Luiz

    Eu me surpreendi com o evento no Rio de Janeiro.
    Além da falta de organização por parte dos idealizadores teve regalias para quem era de blogs.
    Sou Sommelier como o senhor e trabalho com vinho. Na mesma fila em que eu estava tinha duas pessoas de blogs diferentes e ambos convidados por alguém.
    As duas pessoas receberam o Guia, eu quando perguntei sobre o guia que estava dado para clientes especiais do shopping e para outras pessoas foi me dito que Sommelier não tinha direito.

    Fiquei sim chateado com o tratamento dado para quem trabalha 365 dias por ano com o vinho.
    Sobre a diferença do valor x produtores eu também não intendi.

    Sei do vosso trabalho e sigo o senhor e acho que sobre o evento ficou muito abaixo de outros eventos mais simples.

    Sobre o local isso foi horrível, difícil acesso para todos que pudo ouvir que vinheram de Niterói e lugares mais longes.

    Att. Brunno Guedes.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 16 de abril de 2018 às 08:54

      Olá Brunno,
      Lamento saber que teve tantos percalços no evento.
      Conheço os organizadores e sei que eles sempre procuram fazer o melhor trabalho possível.
      Espero que nas próximas edições tudo esteja mais bem resolvido.
      Abs,
      Luiz Cola

  • Douglas - 23 de abril de 2018 às 23:13

    Cada vez mais a Campanha Gaúcha vem se destacando em bons vinhos, sem dúvida os melhores tintos são produzidos lá, mas ainda que a pontuação tenha sido inferior aos tintos uruguaios, é a prova de que a região está melhorando e é propícia para este tipo de vinho. Em caráter geral, o vinho brasileiro ainda está muito atrás do chileno e ainda mais do argentino, temos muito a melhorar.

    • Luiz Cola

      Luiz Cola - 24 de abril de 2018 às 08:40

      Olá Douglas,
      Bom dia!
      A região da Campanha Gaúcha é mesmo muito promissora para a produção de vinhos.
      Tenho certeza que a qualidade só tende a aumentar. Torço pelo sucesso dos produtores que estão fazendo um belo trabalho pioneiro por lá.
      Abs,
      Luiz Cola

    • pablo - 2 de agosto de 2018 às 15:18

      Protesto veemente! O vinho brasileiro é superior aos chilenos, argentinos e uruguaios, quiçá outras regiões produtoras seja no velho, no novo ou novíssimo mundo. A título de exemplo, devido ao mau hábito de comparação que se fomenta (o terroir e a enocultura é única em cada cada região produtora) alguns exemplares equiparam-se com bordaleses nos tintos com este corte. E nada devemos aos brancos em relação aos neozelandeses e borgonheses na chardonnay. E no espumante, já superamos champagnes. Falta mais apreço dos brasileiros, profissionais do vinho e governo principalmente, em valorizar nosso vinho, e não somente. Velho hábito brasileiro, arraigado, crente no importado sempre superior e melhor. Como é raro encontrar nas casas vinhos nacionais, clubes de vinho raramente os inclui, a estupidez burocrática e tributária mantêm ótimas vinícolas escondidas e ignorância as portas da inundação de vinhos de qualidade duvidosa.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO