Doutor do Outubro Rosa

  • Renata Rasseli
  • 23/out/2016
  • 2 Comentários

Texto: Benahia Figueiredo

O médico oncologista Roberto de Oliveira Lima bate de frente diariamente com o câncer, mas tenta tornar tudo mais leve. “Escuto música enquanto opero, minha playlist vai de MPB até funk. As pessoas tem outra visão do centro cirúrgico, mas é um local de trabalho e é preciso deixar o ambiente mais tranquilo e o resultado é ainda melhor. Me ajuda a concentrar”, conta. Foto: Mônica Zorzanelli
O médico oncologista Roberto de Oliveira Lima bate de frente diariamente com o câncer, mas tenta tornar tudo mais leve. “Escuto música enquanto opero, minha playlist vai de MPB até funk. As pessoas tem outra visão do centro cirúrgico, mas é um local de trabalho e é preciso deixar o ambiente mais tranquilo e o resultado é ainda melhor. Me ajuda a concentrar”, conta. Foto: Mônica Zorzanelli

Lutar diariamente contra o câncer. Essa é a tarefa do médico oncologista Roberto de Oliveira Lima, diretor técnico do Centro Capixaba de Oncologia. Cearense, veio para Vitória ainda bebê, e traçou seu futuro aos 11 anos, ao ver uma notícia sobre o primeiro transplante cardíaco no mundo, feito pelo cirurgião Christiaan Barnard.  “A medicina tem muito a ver comigo porque trata de inovação. Sempre soube o que queria e adoro o que faço. Se um dia tiver que parar de trabalhar, acho que fico doente”, conta. Formado  em Medicina pela Ufes,  há cerca de 20 anos se dedica ao tratamento do câncer de mama, doença que no mês de outubro ganha atenção especial graças ao Outubro Rosa. “A campanha chama atenção para o problema, apesar de um pouco desvirtuada atualmente. Muita gente anda se aproveitando disso, o que é uma pena. Mas o reflexo da campanha é muito bom. O movimento aumenta este mês e chama a atenção das mulheres para o diagnóstico precoce de uma doença que é muito frequente, e que, se descoberta ainda no início, o índice de cura chega a 95%”, explica.

Vencendo o câncer

Fundador e idealizador do Cecon, que nasceu em 1993, relembra do início, em que a quimioterapia era realizada na cozinha de uma casa adaptada e agora se orgulha da terceira sede, muito maior e com vista pro mar. “O nosso lema sempre foi o bom humor. O tratamento não envolve só o médico porque o câncer não é só a doença. É preciso cuidar de outras áreas da vida do paciente e tratar também a família. Tem que atingir todo mundo para ter um resultado melhor”, diz. E cada pequena vitória merece comemoração. “Acham que conviver com o câncer é só tristeza, mas temos muitos resultados positivos. Muitos pacientes falam que o câncer mudou a vida pra melhor porque eles deixam de se importar com as pequenas coisas. E eu aprendo com eles também”, reflete.

Fora do consultório

Mas para tratar dos pacientes e lidar com a enfermidade, o médico também também precisa ter um preparo psicológico. “Não é fácil. Fiz terapia durante um tempo e foi importantíssimo, até para entender a situação do outro, saber o que ele passa e sofre”, fala. Para desligar, Roberto joga tênis três vezes por semana, faz aulas de inglês para manter a fluência e não dispensa o vinho do final de semana com os amigos. “Mas muitas vezes as coisas não saem da cabeça. É comum acordar no meio da noite pensando em um paciente”, confessa. Pai de dois filhos que moram fora do país, adora viajar com a família e já conhece 41 países. “Eles vivem pedindo para eu aposentar e ir morar com eles, mas gosto de trabalhar e não me imagino em casa o tempo todo de pijama vendo o tempo passar”, brinca.

1. Não saio de casa sem: café da manhã reforçado.

2. Abro um sorrisão quando: vejo meus filhos bem.

3. Viagem dos sonhos: sempre a próxima com minha família.

4. Viagem que virou realidade: Tailândia.

5. A música: todas do Coldplay.

6. O livro: a trilogia “O Século”, de Ken Follett.

7. O filme: “A Dama De Vermelho”, com Julia Roberts, gosto de filme água com açúcar.

8. Festa boa tem: amigos.

9. Moda é: o que me sinto bem.

10. O lugar do ES: Pedra Azul

Publicidade

2 COMENTÁRIOS

  • nilda machado quintal - 26 de outubro de 2016 às 00:12

    Dr.roberto pra mim e uma pessoa quecjamais esquecerei em minha vida..Ele faz parte da minha vida nao tomo remedio s pedir opiniao a ele. Coleciono todas noticias dele .cecon e uma familia

  • Djanira Carvalho - 8 de dezembro de 2018 às 23:49

    Meu grande médico,lhe sou extremamente grata por tudo, muitos anos,fui embora,o encontrei aqui, gratidão,acabando temporada lhe procuro .Guia Deja

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO